segunda-feira, 27 de abril de 2015

Governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, afronta os brasileiros ao comparar, em solenidade, o mártir da Inconfidência aos condenados do PT por práticas de corrupção

Matéria de ISTO É BRASIL  

Quando eclodiu o escândalo do mensalão, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, então prefeito de Belo Horizonte, tentou se distinguir dos demais colegas do PT. Para se afastar dos dirigentes envolvidos na denúncia que atingia pela primeira vez o coração do partido, Pimentel dizia pertencer à ala defensora da refundação da sigla. Fatos recentes mostram que, dez anos e uma sucessão de escândalos depois, o PT não mudou. Pimentel, sim. Em sintonia com o discurso atual da maioria dos petistas, o governador de Minas Gerais afrontou os brasileiros e a história do País ao comandar a tradicional solenidade de entrega da medalha da Inconfidência, em Ouro Preto, no dia 21 de abril. Em discurso, Pimentel lembrou a história de Tiradentes para defender colegas de partido envolvidos nos diversos escândalos de corrupção que abateram a legenda. Afirmou que Tiradentes “foi punido pela conveniência de não se punir mais ninguém. Foi levado ao altar dos sacrifícios para saciar a sede de vingança dos poderosos da época”, referindo-se indiretamente aos petistas que se colocaram como vítimas das “elites”. “Todo réu é inocente até que sejam esgotadas todas as possibilidades de defesa. Isso é um limite contra os desmandos, como aquele que afligiu Tiradentes”, acrescentou ele numa alusão aos petistas implicados no Petrolão, cujos processos ainda não transitaram em julgado.

“O ministro Levandowski teve a coragem de ir contra os aparentes
consensos, guiado pelo incomparável senso da justiça”
Referência à atuação do magistrado  no julgamento do mensalão,
em que defendeu penas mais brandas

A manifestação em prol dos companheiros de partido não se limitou ao discurso. Revelou-se também na escolha dos homenageados. A maior honraria, o Grande Colar da Inconfidência, foi conferida ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. O ministro teve papel de destaque no julgamento do mensalão e ganhou a simpatia dos petistas por representar um dos poucos contrapontos ao ex-presidente da Corte, Joaquim Barbosa, relator do processo e um crítico feroz às práticas de corrupção do partido. A homenagem a Lewandowski poderia se justificar pelo fato de o ministro ocupar atualmente a presidência do tribunal. O governador mineiro, entretanto, fez questão de deixar claro o motivo de ser ele o escolhido para receber a maior honraria mineira: sua posição em defesa de penas mais brandas aos mensaleiros. “O ministro Levandowski já se mostrou fiel a mais sublime e nobre missão de um magistrado. Teve a coragem de ir contra os aparentes consensos, guiado apenas pela solitária e genuína convicção da inocência ou da culpa, mas sem se deixar intimidar pelos clamores de um, de outro, ou de qualquer lado. Guiado, senhor ministro, pelo incomparável senso da justiça e pelo compromisso republicano e democrático que caracteriza Vossa Excelência”, disse o governador.


A VOZ DAS RUAS
Manifestantes protestaram em Ouro Preto contra a decisão de Fernando
Pimentel de conferir a honraria a "apadrinhados do PT de reputação duvidosa"

Entre os demais 140 agraciados com medalhas da Inconfidência havia outras figuras historicamente ligadas ao PT. A principal delas, João Pedro Stédile, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), que há menos de um mês prometeu, atendendo ao chamado do ex-presidente Lula, colocar seu “exército” nas ruas para confrontar os manifestantes que tomaram as avenidas do País contra a corrupção. “O governador mineiro mancha a história daqueles que realmente fizeram jus a esta homenagem”, lamentou o deputado estadual Gustavo Corrêa (DEM), que vai tentar derrubar a honraria concedida a Stédile na Assembleia Legislativa.

“Tiradentes foi levado ao altar dos sacrifícios
para saciar a sede de vingança dos poderosos”
Comparação com os petistas que se colocaram como vítimas das “elites”

A solenidade ocorreu na Praça Tiradentes, mas não foi exatamente pública. O evento ficou circunscrito a uma área cercada. Os que protestavam contra o governador, Lewandowski e Stédile – cerca três mil pessoas – não puderam transpor a barreira. A maior parte dos manifestantes vestia camisas pretas que representavam luto. Erguia uma faixa onde se lia “A Inconfidência é dos brasileiros. Não do PT”. Dizia protestar contra a decisão de conferir a honraria a “apadrinhados do PT de reputação duvidosa”. O minuto de silêncio que caracteriza a solenidade há décadas foi ignorado para evitar que os gritos de protestos ganhassem força. Mesmo assim, no primeiro grande ato público de Pimentel em quatro meses de governo, foi impossível disfarçar o constrangimento com a lamentável tentativa do governador de transformar Minas em um anexo das convicções do petismo.

“Todo réu é inocente até que sejam esgotadas as
possibilidades de defesa. Isso é um limite contra
os desmandos, como aquele que afligiu Tiradentes”
Alusão aos petistas envolvidos no Petrolão, cujos processos não transitaram em julgado

Fotos: Manoel Marques/Imprensa MG; Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press 

sábado, 25 de abril de 2015

A falência dos partidos políticos

    


     O Brasil está passando por uma abissal crise moral, cuja essência se localiza no fulcro dos partidos políticos. Um sentimento de pessimismo paira no ar. A descrença sobre a capacidade de governança dos nossos representantes atingiu um nível incalculável. A corrupção se tornou regra dos partidos e tema frequente nas redes sociais. No Brasil, a corrupção foi naturalizada, equivalente ao nascer do sol, ao calor, ao vento, à chuva...
    Há uma sublevação das mentalidades contra os infindos casos de corrupção. O ceticismo político se enraizou na opinião pública, caindo num fatalismo que aponta a impossibilidade de resolução dos problemas sociais. A insatisfação é tão impactante que os combatentes da corrupção foram elevados à categoria de heróis, haja vista a aclamação popular a Joaquim Barbosa e Sérgio Moro, ícones do Poder Judiciário que angariaram a fama de justiceiros do povo brasileiro.
    O julgamento do “Mensalão” e a “Operação Lava Jato” refletem um pouco a solidez enquanto instituições do Ministério Público, da Justiça e da Polícia Federal, porém, o governo da Dilma propagandeia com conjecturas cheias de vacuidade que tem combatido a corrupção “como nunca antes na história deste país”. Aprendi com Montesquieu que a única instância habilitada para investigar e julgar a aplicação correta das leis é o Poder Judiciário. Talvez, na “República dos Abacaxis” da Dilma, o Poder Executivo tenha funções judiciárias.
    Voltemos à temática central. Os partidos não conseguem mais captar os anseios e dilemas da população. As pessoas não se sentem representadas pelos políticos; eis o atestado de decadência da democracia representativa no Brasil. O nosso sistema político tem uma quantidade absurda de partidos que visam apenas “sugar” o leite e o sangue das “tetas” do fundo partidário. No final das contas, os partidos brasileiros estão igualados no magma da mediocridade e do oportunismo. É mister uma reciclagem drástica da nossa conjuntura partidária, todavia, seus componentes estão mui preocupados com a manutenção do status quo.
    Na contramão da falência dos partidos políticos, a “presidenta” aceitou sem vetos a proposta de triplicação do fundo partidário, cujo seu partido será o principal beneficiado por ter a maior bancada na Câmara dos Deputados. De forma conveniente, esta medida foi acatada pela “presidenta” justamente quando o PT alega que não aceitará mais doações de empresas. Eu tenho certeza que o sacrossanto PT cumprirá com fervor religioso essa promessa. Enfim, qual é o porquê de tamanha benevolência da Dilma com as legendas políticas? A resposta é muito simples: cooptar o apoio dos parlamentares, uma espécie de clientelismo pós-contemporâneo. Esta benevolência só ratifica o presidencialismo de coalizão costurado a partir de retalhos espúrios e promíscuos entre o Poder Executivo e os degradados partidos políticos.


Tosta Neto, 22/04/2015

Sobre o Autor:
Tosta Neto Tosta Neto é Escritor e Historiador, Colunista do Outro Olhar Amargosa.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

A "lista de supermercado" de R$ 710 mil da Presidência da República



Entre os gastos dá para ver que é previsto o gasto de R$ 47 mil com cloro granulado e de R$ 82 mil com sacos de lixo
SÃO PAULO - Você sabe quanto você gasta no supermercado por mês? Perto dos R$ 710 mil previstos em licitações nos últimos meses pela Presidência da República, tenho certeza que é um valor muito, muito menor.

As listas da presidência, divulgadas no site da Secretária Geral, mostram o padrão de consumo do planalto: tudo é comprado em quantidades imensas de uma única vez, com as compras prevendo o abastecimento por todo o ano de 2015.

Essas compras de produtos gerais servem para abastecer os depósitos dos Palácios do Planalto, Residência da Alvorada, Residência do Torto e os gabinetes de São Paulo, Belo Horizonte e Porto Alegre - e sua imensa quantidade de funcionários.

As licitações recém-anunciadas focam muito em produtos de limpeza e somam, no total, um gasto estimado de R$ 712 mil. Não colocamos todas as licitações previstas pelo planalto: muitas delas são de produtos que não são habitualmente comprados em supermercados - que foram o alvo desta matéria.

Tudo, porém, está disponível nos portais do governo e pode ser acessado pelo cidadão a qualquer momento. Mas cuidado: as informações são usualmente postas de maneira bastante confusa e podem dar uma ideia errada das compras. Não dá para saber, por exemplo, se esses R$ 712 mil serão gastos integralmente ou se um desconto conseguirá ser alcançado.

Por exemplo: pode-se ver em uma outra lista, por exemplo, que o governo pretendia gastar cerca R$ 121 mil em ração para as 400 aves e 500 peixes que moram no Palácio do Planalto. O leilão desta licitação aconteceu e a ata do pregão eletrônico dá para ver que, em alguns itens o preço mínimo não foi alcançado, e em outros, houve uma economia agressiva frente o planejado. O total gasto até agora? R$ 43.881,10.

Por conta disto, nesta lista, muito dos produtos estão com um sobrepreço próximo do que você consegue encontrar no supermercado. Uma garrafa de 2 litros de refrigerante de Coca está por R$ 6,10 - mas em um supermercado comum, é capaz de encontrá-la por menos do que R$ 5,00 mesmo nas regiões mais caras do Brasil. Dificilmente eles serão vendidos por esse preço.

Alguns dos contratos já fechados (I, II, III, IV, V) mostram o que, e ajuda a especular o que ainda resta na dispensa do Planalto - embora os produtos tenham sido licitados no ano passado. Além disso, mostram as marcas usualmente compradas pela Presidência da República. Basta ficar de olho. Nós ficaremos por você.

Confira as listas de supermercado do planalto em 2015:

Produto Quantidade Valor Unitário Valor Total
Lista 1
Batata Palha (sem gordura trans) 30 7,58 227,40
Refrigerante de Cola (2 litros) 600 6,21 3.726,00
Refrigerante de Guaraná (lata de 350 ML) 900 1,96 1.764,00
Refrigerante de Guaraná Zero (350 ML) 1.200 1,96 2.352,00
Refrigerante de Laranja (2 litros) 300 4,90 1.470,00
Refrigerante de Guaraná 200 5,49 1.098,00
Refrigerante de Guaraná Zero 340 5,49 1.866,60
Lista 2
Água Sanitária 2.500 1,07 2.675,00
Álcool em gel 950 3,83 3.638,50
Álcool hidratado 70 graus 1.500 3,83 5.745,00
Álcool hidratado 92,8 graus 2.500 3,48 8.700,00
Algicida de manutenção 80 99,66 7.972,80
Amaciante de Roupa 380 7,39 2.808,20
Balde Plástico 12L 120 8,40 1.008,00
Balde Plástico 30L 60 52,31 3.138,60
Cera Impermeabilizante 120 19,99 2.398,80
Cesto de PVC 250 18,19 4.547,50
Clarificante e floculante 80 114,65 9.172,00
Clarificante flutuador de piscina 60 98,43 5.905,80
Cloro Granulado 350 134,99 47.246,50
Desengordurante de Limpeza 5L 50 35,28 1.764,00
Desengordurante Desincrustante 40 232,59 9.303,60
Desentupidor de Borracha 15 3,99 59,85
Desinfetante para vaso 1.020 2,09 2.131,80
Desinfetante de uso geral 80 12,10 968,00
Desinfetante Desodorizador 1.620 2,36 3.823,20
Desinfetante Sanitizante 50 14,92 746,00
Detergentes Desengordurante 80 86,95 6.956,00
Detergente em Pó 1.800 20,20 36.360,00
Detergente Germicida 140 47,05 6.587,00
Detergente Neutro 840 52,14 43.797,60
Disco Removedor 5 45,10 225,50
Elevador de Alcalinidade 120 45,75 5.490,00
Elevador de PH 110 14,15 1.556,50
Escova de Náilon 75 10,50 787,50
Esfregão 100 47,28 4.728,00
Espanador de Náilon 10 9.00 90,00
Esponja dupla face 1.560 2,60 4.056,00
Esponja lã de aço 750 3,30 2.475,00
Essência de Eucalipto Concentrado 675 21,80 14.715,00
Estopa Cor Branca 1.200 2,38 2.856,00
Evita mofo 180G 1.050 25,10 26.355,00
Fibra sintética 350 1,05 367,50
Flanela Cor Branca 180 1,70 306,00
Flanela Laranja 600 1,29 774,00
Inseticida Aerossol 1.440 6,80 9.792,00
Limpa Borda de Piscina 30 18,96 568,80
Limpador Espumante Aerossol 380 37,77 14.352,60
Limpador Multiuso 660 1,62 1.069,20
Limpador para Limpeza Profundo-Pesada 230 6,65 1.529,50
Limpa-Vidro Instantâneo 170 3,99 678,30
Lustra-Móveis 500ML 210 4,90 1.029,00
Luva de Borracha 600 3,00 1.800,00
Luva Plástica 30 3,62 108,60
Luva de Látex 150 16,50 2.475,00
Máscara de TNT descartável 50 13,10 655,00
Odorizador de Ambiente em Aerossol 1.500 9,43 14.145,00
Odorizador de Ambiente 250 ML 110 25,57 2.812,70
Óleo lubrificante 380 5,75 2.185,00
Óleo polidor 850ML 50 12,29 614,50
Palha de Aço 230 0,64 147,20
Pano Multiuso 150 110,90 16.635,00
Papel Higiênico Interfolhado 4.100 2,03 8.323,00
Papel Higiênico Neutro 3.300 0,75 2.475,00
Pasta de Limpeza Cor Rosa 270 3,45 931,50
Pastilha Descalcificante 30 421,24 12.637,20
Pastilha Detergente 20 351,87 7.037,40
Polidor de metal branco 150 12,29 1.843,50
Polidor de metal cromado 150 17,00 2.550,00
Propé Sapatilha com solado antiderrapante 210 460,00 96.600,00
Pulverizador Manual com Gatilho 50 5,79 289,50
Refil micro-luva de fibra para esfregão 230 31,29 7.196,70
Rodo de Plástico de 30cm 150 9,50 1.425,00
Rodo de Plástico de 60cm 150 8,80 1.320,00
Sabão comum barra 670 0,94 629,80
Sabão de coco 200 0,95 190,00
Sabonete cremoso 165 5,10 841,50
Sabonete Glicerinado 420 1,21 508,20
Sabonete líquido antisséptico 30 39,99 1.199,70
Saboneteira de parede 15 34,30 514,50
Saco plástico biodegradável 200 Litros 560 147,45 82.572,00
Saco plástico biodegradável 20 litros 180 22,35 4.023,00
Saco plástico biodegradável 40 litros 300 37,20 11.160,00
Saco tecido para limpeza 1.610 5,50 8.855,00
Tela antiderrapante 15 850,00 12.750,00
Teste para análise de água 60 41,78 2.506,80
Tira-Limo 500ML 230 19,63 4.514,90
Vassoura de fibra 100 15,95 1.595,00
Vassoura plástica 30cm 70 7,83 548,10
Vassoura plástica 60 cm 30 16,15 484,50
Vassoura plástica de piaçava sintética 180 17,80 3.204,00
Xampu Limpa-Carpete 15 17,00 255,00
Lista 3
Detergente Desengordurante 36 164,64 5.927,04
Desinfetante Sanitizante para higienização 27 526,96 14.227,92
Desinfetante Sanitizante para hortifrutículas 36 112,90 4.064,40
Detergente biodegradável uso geral 36 138,47 4.984,92
Desengordurante de limpeza pesada 27 232,58 6.279,66
Desengordurante desincrustante 18 398,91 7.180,38
Sabonete Líquido para mão 18 76,36 1.374,48
Óleo Polidor 850ML 18 165,23 2.974,14
Pastilha Descalcificante 10 477,88 4.778,80
Embalagem Plástica 15x20 1 161,50 161,50
Embalagem Plástica 16x20 1 157,37 157,37
Embalagem Plástica 18x25 1 214,78 214,78
Embalagem Plástica 20x30 1 392,51 392,51
Embalagem Plástica 30x40 1 560,18 560,18
Embalagem Plástica 18x35 1 373,83 373,83
Papel manteiga 30 5,52 165,60
Acedendor de fogão de 30cm 36 10,58 380,88
Bandeja rasa de isopor 1.500 0,27 405,00
Filtro descartável de papel 110 3,69 405,90
Propé Sapatilha com solado antiderrapante 3 265,00 795,00
Esfregão para limpeza de chão 30 89,58 2.687,40
Refil Microfibra para esfregão 90 33,74 3.036,60

Fonte InfoMoney

 
DBS. Tecnologia do Blogger.