.

.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Friboi compra subsidiária da Marfrig na Irlanda por US$ 1,5 bilhão, e fecha frigoríficos no Brasil demitindo trabalhadores em Amargosa e em Quatro Marcos


             Grupo Frigorífico JBS fecha as portas encerrando suas atividades no ultimo dia 17 no município de Amargosa BA, cidade situada no Vale do Jiquiriçá na Mesorregião do Centro-Sul Baiano, segundo ex-funcionários foram demitidos mais de 200 trabalhadores.  A empresa JBS se estalou em Amargosa a pouco mais de um ano, após a aquisição das instalações  que pertenciam à empresa Frigamar.  O grupo JBS-Friboi, um dos maiores produtores de carne do mundo ironicamente também fechou e encerrou suas atividades no município de São José dos Quatro Marcos, região Oeste de Mato Grosso, demitindo todos os 650 funcionários que trabalhavam na unidade de abate de bovinos no município no mês de maio deste ano conforme noticia do G1
             Curioso é que, a mesma JBS que está fechando e demitindo no Brasil, acaba de fechar um milionário negocio com a compra da irlandesa Moy Park, subsidiária da brasileira Marfrig, por US$ 1,5 bilhão. Segundo o reportagem do Valor Econômico, a Marfrig confirmou o negócio por meio de fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A empresa o informou ao V E que, do total de US$ 1,5 bilhão, US$ 1,19 bilhão se refere ao pagamento à vista. O restante, à dívida líquida da Moy Park, no montante de 200 milhões de libras (aproximadamente US$ 300 milhões), que será assumida pela compradora. Esta historia no mínimo estranha, me faz lembrar um diálogo público ocorrido com o usuário Saka Sakmori no microblog Twitter, Romeu Tuma Júnior, ex-secretário nacional de Justiça, afirmou, em resposta ao anúncio de que a JBS Friboi iria financiar a campanha de Dilma em 2014, que, quando essa relação "estourasse", seria revelada a "maior lavanderia da história da América Latina".

         E falando em "lavanderia", resta  torcer para o sucesso da Operação Lava a Jato, e aguardar os próximos capítulos desta trama dramática, que vem transformando demissões e aumento de desemprego como triste realidade no país.


Sobre o Autor:
David Brito David Brito é graduado em Filosofia, ativista da informação digital via redes, é organizador do Blog Outro Olhar.

A paradoxal relação entre o torcedor e a Seleção Brasileira

       
       No último sábado (27/06/2015), a eliminação do Brasil pelo Paraguai na quarta de final da Copa América, revelou em parte a transitoriedade sentimental do torcedor brasileiro com a seleção de futebol. Ao longo da história das Copas, esta relação inconstante foi construída a partir duma amálgama de choros, risos, elogios e xingamentos. É inegável o poder de atração e repulsão que a Seleção Brasileira exerce nos torcedores.
    Historicamente, o ideal de patriotismo não está bem elaborado no nosso país, contudo, durante a Copa do Mundo emerge um estado que foge da regra histórica. Até a permanência do Brasil na Copa, o torcedor ostenta o verde e o amarelo com toda vaidade e orgulho. A Seleção Brasileira “persuade” o torcedor ao cantar do hino e ao abraçar da bandeira nacional. Após a derrota – vale salientar, que qualquer eliminação da Seleção na Copa é traumática, seguida por um clímax coletivo de ira – o verde e o amarelo são desbotados pela revolta da torcida.
    Percebe-se que o vínculo do torcedor e a Seleção não está pautado na fidelidade. Muitos torcedores preferem o título de seu time em detrimento do triunfo na Copa do Mundo. O autor que vos escreve é um exemplo: eu prefiro a conquista do tetra da Libertadores da América e do Mundial Interclubes pelo São Paulo do que o aclamado “Hexa”, cujo sonho foi adiado pelo indelével e trágico 7 x 1. Prezado leitor, pergunte aos torcedores do Bahia e do Santa Cruz o que eles preferem; depois de ouvi-los, quiçá tu concordes com o meu simplório argumento.
    No futebol brasileiro é imprescindível que o jogador vença uma Copa do Mundo para ser eternizado na memória coletiva. Jogadores limitados na parte técnica e que não tiveram carreiras tão vitoriosas nos clubes, haja vista Dunga e Mauro Silva no Mundial de 1994, graças ao êxito na Copa, escreveram com letras maiúsculas os seus nomes no Panteão do Futebol Brasileiro. Em contrapartida, o brilhante Zico que teve uma carreira irretocável no Flamengo, não tem a devida reverência somada a críticas negativas pouco contundentes: “foi um grande jogador, mas não ganhou a Copa do Mundo”; “ele perdeu um pênalti contra a França na Copa de 1986”. Sejamos prudentes, um jogador não deve ser avaliado exclusivamente pelo seu desempenho em Copa do Mundo.
    Vintes Copas se foram, outras virão e algo ficará estático: o elo entre o torcedor e a Seleção Brasileira. Com a conquista do Penta e a presença em todas as edições da Copa do Mundo, o torcedor brasileiro ficou mal-acostumado com a sua seleção. Não há outro resultado senão o 1º lugar. A torcida é muito exigente com o “time canarinho”: não basta vencer, “é preciso dar espetáculo”. O jogador da Seleção não é apenas um singelo jogador de futebol, é também artista, herói, vilão e pop-star. Neste turbilhão de amor e ódio, euforia e frustração, vitórias e derrotas, atesta-se que a força avassaladora do tempo será incapaz de destruir a relação paradoxal entre o torcedor e a Seleção Brasileira.

Tosta Neto, 29/06/2015



Sobre o Autor:
Tosta Neto Tosta Neto é Escritor e Historiador, Colunista do Outro Olhar Amargosa.

domingo, 28 de junho de 2015

MEME CHARGE: "Operação LAVA A JATO" ééééé do Brasil


Vídeo: Entenda a baixa aprovação do governo Dilma e o fantasma de setembro. Por Fernando Rodrigues

Entenda a baixa aprovação do Governo Dilma e o fantasma de setembro. Por Fernando Rodrigues Jornalista de política no UOL

Zé Rainha condenado por extorsão, formação de quadrilha e estelionato.

É muito triste que um país com a vocação para a agricultura, um dos celeiros do mundo tenha tanta terra nas mãos de poucos. No Brasil se faz necessária e com urgência uma verdadeira reforma agrária.Não há em muitos Países desenvolvidos tanta terra em poucas mãos como há no Brasil. Há muitos sem-terra em nosso país, mas os lideres destes movimentos sociais caíram em tentação e deixaram de representar os que não têm onde plantar e hoje estes lideres representam seus próprios interesses e os interesses de seus partidos políticos. Podemos observar no romance Vidas Secas que a necessidade de reforma agrária há muito tempo é denunciada. Abaixo está um excerto de trabalho que fiz em 2002 e, portanto anterior a chegada de um grande líder sindical ao poder e que em minha cabeça este senhor iria olhar com carinho a questão agrária, mas foi um ledo engano.

Graciliano Ramos denuncia através desta obra permanecia da escravidão na estrutura agrária brasileira, este traço manifesta-se no livro através das trapaças do dono da fazenda, na brutalidade do soldado amarelo e na arbitrariedade do fiscal da prefeitura. O romance “Vidas Secas” chega a ser verídico, não só verossímil. O romance “Vidas Secas” é um clássico da literatura brasileira pela sua originalidade estilística e sua estrutura, pelo relato da existência sem destino do sertanejo, pela fidelidade ao drama de 40% da população nordestina que se encontra na zona rural, sob miseráveis condições, sofrendo os efeitos da seca. Mostrando ainda hoje a imediata carência de uma verdadeira reforma agrária, onde se acabe com os latifúndios, onde se dê terra, mas também incentivos, subsídios, financiamentos justos e uma política de agricultura familiar, onde se dêem condições não só ao agribusiness em que exista uma política agrária que coloque o Brasil como auto-suficiente em todos os produtos da “cesta básica” que faça o Brasil acreditar que a seca não é irremediável e irreversível, onde a esperança realmente vença o medo. A atualidade deste tema e a forma como foi escrito mostra a importância deste romance na cultura brasileira.
(DE OLIVEIRA, Cristovão Augusto – 2002)

domingo, 14 de junho de 2015

ASSISTA: Brasileiro Fabricio Werdum é o mais novo Campeão Mundial de MMA do UFC



Em incontestavel vitória por finalização Fabrício Werdum (Porto Alegre, 30 de julho de 1977) derrota o agora ex- campeão mundial dos Pesados de MMA Cain Velasquez no UFC 188 .  Werdum também já foi duas vezes campeão mundial de jiu-jitsu brasileiro, duas vezes campeão do campeonato Abu Dhabi Combat Club World Peso Pesado e campeão europeu de jiu-jitsu. Ele é faixa preta 2º grau de Jiu-jitsu brasileiro, faixa preta em Judô e Prajied Preto em Muay Thai. Werdum já lutou no PRIDE, UFC, Strikeforce e Jungle Fight .
Fabrício é conhecido por ter sido o primeiro homem a vencer de fato (por finalização) o maior peso pesado de MMA de todos os tempos, o ucraniano Fedor Emelianenko.
ASSISTA os melhores momentos da LUTA
video

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Sesab determina corte de 25% nas despesas de custeio de unidades SUS



Jairo Costa Junior para o Jornal Correio 24h
A Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) determinou corte de 25% nas despesas de custeio em todas as 52 unidades do SUS geridas pelo governo baiano na capital e interior. A medida atinge hospitais gerais,  maternidades, centros de referência e de atendimento médico de emergência. A lista de gastos que serão reduzidos inclui água, energia, telefone, compras de equipamentos, mão de obra terceirizada e folha de pagamento. A decisão já foi informada pelo secretário Fábio Vilas-Boas  a dirigentes da cúpula da Sesab e dos maiores hospitais da rede estadual. Entre os quais, HGE, Roberto Santos e Menandro de Farias. Nas reuniões, realizadas de forma gradual desde o começo da semana, os diretores das unidades são avisados por Vilas-Boas de que ou cumprem a ordem de enxugar custos ou serão substituídos.

Passa e repassa
A tesourada na Sesab foi decidida em uma reunião conjunta entre o governador Rui Costa (PT), Fábio Vilas-Boas e os secretários da Administração, Edelvino Góes, e da Fazenda, Manoel Vitório. Daí a  expressão usada por Vilas-Boas ao anunciar o aperto: “O governador cobrou de mim e eu estou cobrando de vocês”.

Tapa-buraco
A meta é reduzir o atual déficit de R$ 650 milhões na Sesab -  meio bilhão de reais acumulado até 2014, mais R$ 30 milhões que são adicionados mensalmente à conta negativa. Um dos reflexos da asfixia financeira na Sesab foi a suspensão de cirurgias eletivas no Roberto Santos por falta de soro fisiológico.

Sobre leões e lobos
As negativas do vice-governador, João Leão (PP), em seu interrogatório  à Polícia Federal, anteontem, não foram suficientes para tranquilizar o Palácio de Ondina. Segundo integrantes do alto escalão do governo Rui Costa, o desconforto ainda é grande com a presença de Leão, número dois na hierarquia do Executivo estadual, na lista de políticos investigados por suspeita de receber propina do esquema da Lava Jato. Não tanto pelo teor da delação premiada de dois dedos-duros do escândalo de corrupção: o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.  Mas sobretudo pelo andamento da devassa da PF sobre contas de campanha de 2008 a 2012.

Galinha gorda
Os deputados Bebeto Galvão (PSB) e Jorge Solla (PT) duelam veladamente pela vaga de novo líder político dos 6,7 mil órfãos do Estaleiro Enseada do Paraguaçu. Antes, o espaço era feudo do ex-deputado Luiz Alberto (PT), principal representante dos trabalhadores do setor petroleiro na Bahia, derrotado nas eleições passadas.

Saia justa
O ministro da Defesa, Jaques Wagner, se enroscou na lógica ontem, durante um seminário sobre administração pública em Brasília. Ao defender mudanças urgentes no sistema de controle de gastos governamentais, disse que o atual é “ultrapassado” . Com 12 anos de PT no poder, das duas, uma: ou o partido criou ou manteve a defasagem.

Boechat ataca Lula e o coloca contra a parede; veja vídeo


O jornalista ancora do Jornal da Band, Ricardo Boechat, criticou duramente o ex-presidente Lula, por receber através do Instituto do Lula R$ 3 milhões da Camargo Corrêa, empresa que tinha e tem contratos com o Governo Federal nas gestões Lula e Dilma. A Camargo Corrêa fez três doações à entidade, além de pagar R$ 1,5 milhão a empresa do ex-presidente.
 Veja o Vídeo

Câmara dos Deputados aprova mandato de cinco anos para todos os cargos


A Câmara dos Deputados em plenário aprovou, na noite da quarta-feira (10), uma emenda que prevê mandato de cinco anos para todos os cargos eletivos. A medida inclui presidente da República, senadores, governadores, deputados federais, estaduais, prefeitos e vereadores. Foram 348 votos a favor da emenda, 110 contra e 3 abstenções.
Segundo informações do Site Metro 1, o  dispositivo cria uma regra de transição ao estabelecer que, nas eleições de 2018, os mandatos serão de quatro anos. O novo mandato de cinco anos só começa a valer no pleito de 2022. Em relação aos senadores, os candidatos eleitos em 2018 terão nove anos de mandato para que, em 2027, as eleições possam coincidir em um mesmo ano. No entanto, a emenda não trata da transição para os cargos de prefeito e vereadores, que serão eleitos no ano que vem.
Atualmente, todos os mandatos eletivos são de quatro anos, exceto os de senadores, que ficam no poder por oito anos. Para que os  mandatos sejam fixado em cinco anos, a proposta precisará ser aprovada em segundo turno pela Câmara e depois em dois turnos pelo Senado.

 
DBS. Tecnologia do Blogger.