quarta-feira, 31 de agosto de 2016

E o golpe foi consumado... (O QUARTO ANTAGONISTA)
Há 5 anos e 6 meses atrás, o embate entre Anderson Silva e Vitor Belfort pelo UFC 126, considerado à época “A Luta do Século”, mobilizou o mundo do MMA. Dois ícones estavam frente a frente. Após muitas provocações e uma encarada tensa, o “Spider” venceu o “Fenômeno” com um belo golpe: um chute rebuscado de precisão e plasticidade. Nocaute! Este nocaute talvez seja o mais emblemático da história do MMA. Confira o golpe consumado por Anderson Silva no link abaixo:

Impeachment é aprovado no Senado e Dilma é cassada
BRASÍLIA E SÃO PAULO - O Senado Federal aprovou às 13h35 desta quarta-feira, 31, por 61 votos a 20 o afastamento definitivo da presidente Dilma Rousseff (PT). Quase dois anos após ser reeleita com 54,5 milhões de voto, ela se tornou o segundo presidente da República da história do Brasil a sofrer impeachment. Com a destituição, Michel Temer (PMDB) assumirá o comando do País. Ele já estava como presidente em exercício desde 12 de maio, quando o Senado tinha aprovado o afastamento temporário da petista.
O Senado Federal rejeitou, porém, por 42 votos a 36, a inabilitação da presidente cassada Dilma para exercer cargos públicos por oito anos. Dessa forma, mesmo tendo sofrido impeachment, a petista poderá exercer cargos públicos, como de ministra e secretária estadual. Dilma também não está inelegível, ou seja, poderá concorrer as eleições novamente, caso deseje.
A votação em separado ocorreu porque senadores aliados da presidente cassada apresentaram destaque no plenário, antes do início da votação, pedindo para que o impeachment e a inabilitação para funções públicas fossem analisadas em duas etapas diferentes.
A situação de Dilma será diferente da do ex-presidente da República e atual senador Fernando Collor de Melo (PTC-AL), que sofreu impeachment em 1992. Na época, o alagoano chegou a renunciar ao mandato, para tentar salvar sua habilitação política, mas o Senado ignorou e aprovou tanto a cassação do mandato como a inelegibilidade e inabilitação política dele por até oito anos.
Michel Temer tomará posse como presidente efetivo em sessão do Congresso Nacional marcada para a tarde desta quarta-feira, 31. Logo em seguida, viajará para a China, onde participará da reunião do G-20. Para isso, terá antes de passar o exercício da presidência da República ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que se tornou o primeiro na linha de sucessão, seguido pelos presidentes do Senado e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Sessão. A sessão começou às 11h16, com 16 minutos de atraso. Na abertura, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandoski, que comandou toda a fase final do julgamento, leu um resumo do processo com a argumentação da acusação e da defesa de Dilma. Em seguida, um requerimento de destaque foi apresentado pelo PT por meio do senador Humberto Costa (PT-PE) para fatiar a votação. O partido queria que a cassação e a inegibilidade política de Dilma fossem tratadas separadamente. A apreciação do destaque foi acatada por Lewandowski, apesar de contestações de Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).
O presidente do STF discorreu sobre as normas do Senado que tratam do assunto, lembrou situações parecidas no Supremo, disse que não poderia se pronunciar por não estar ali como juiz e deixou que o plenário decidisse "soberanamente".
Depois, então, chegou o momento da votação final da perda do mandato de Dilma, por meio eletrônico. Cada parlamentar votou usando os computadores nas mesas do plenário e o resultado foi anunciado no painel.

Processo. O pedido de impeachment de Dilma foi apresentado pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal em outubro do ano passado. Eles pediram a saída de Dilma, sob a acusação de que ela cometeu crime de responsabilidade ao editar três decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso Nacional e atrasar o repasse de recursos do Tesouro a bancos públicos para pagamento de programas sociais, o que ficou conhecido como “pedaladas fiscais”.
O pedido foi aceito em 2 de dezembro pelo deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), então presidente da Câmara. Ele deflagrou o impeachment no mesmo dia em que a bancada do PT, partido de Dilma, se recusou a votar contra a abertura de seu processo de cassação por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Câmara. Após ser debatido e aprovado em comissão especial, os deputados aprovaram o prosseguimento do processo no plenário da Casa em 17 de abril deste ano.
Da Câmara, o pedido seguiu para o Senado, onde também foi formada comissão especial. Antes de aprovar a saída definitiva de Dilma, os senadores já tinham feito duas votações sobre o impeachment. A primeira foi em 12 de maio, quando decidiram pelo afastamento por até 90 dias da petista. A segunda, em 9 de agosto, quando votaram a chamada “pronúncia” do impedimento da petista, ou seja, quando decidiram que ela iria a julgamento pelo plenário da Casa.
O julgamento final do impeachment no Senado começou na última quinta-feira, 25 de agosto. Na primeira etapa, que durou até sábado, 27, foram ouvidas as testemunhas de defesa e de acusação. A segunda fase aconteceu na segunda-feira, 29, quando Dilma foi pessoalmente ao Senado prestar depoimento. Nessa terça-feira, 30, defesa e acusação fizeram suas considerações finais e foram seguidos dos discursos dos senadores sobre a denúncia contra a presidente.
Durante o julgamento, a acusação disse que Dilma cometeu crime de responsabilidade, pois feriu a meta fiscal ao autorizar a abertura de decretos liberando gastos no Orçamento, de créditos suplementares. Em sua defesa, Dilma negou que tivesse cometido crime de responsabilidade com esses atos. Sustentou que estava sendo alvo de um “golpe parlamentar”. Seus opositores, porém, rechaçaram a tese, afirmando que o processo seguiu o trâmite estabelecido pelo Supremo.
Dos 63 parlamentares que se pronunciaram nas 12 horas de sessão da terça-feira, 43 apoiaram a saída permanente de Dilma. Apenas 18 defenderam a petista. Para o impeachment se confirmar eram precisos no mínimo 54 votos a favor do processo do total de 81 senadores, ou dois terços (66,66%).

(Fonte: Estadão)

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Déficit primário do governo central tem recorde para julho
Brasília - O governo central registrou déficit primário de 18,552 bilhões de reais em julho, pior para o mês na série histórica iniciada em 1997, em meio à contínua fraqueza na arrecadação e elevadas despesas extraordinárias, como o reforço fiscal dado ao Rio de Janeiro para as Olimpíadas.
O resultado, que engloba Tesouro, Banco Central e Previdência Social, veio melhor que o rombo de 21,9 bilhões de reais estimado por analistas em pesquisa Reuters.
Segundo informou o Tesouro nesta terça-feira, a receita líquida total caiu 7,4 por cento em julho sobre um ano antes em termos reais, a 91,802 bilhões de reais, sobretudo por conta da recessão.
No período, as despesas totais subiram 3,2 por cento já descontada a inflação, a 110,354 bilhões de reais, influenciados pela alta de 7,3 por cento nos gastos com benefícios previdenciários.
Também pesou na conta o pagamento de 9,2 bilhões de reais em subsídios, subvenções e Proagro seguindo o calendário semestral determinado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), além de 2,9 bilhões de reais para o Rio de Janeiro para a realização da Olimpíada.
Segundo escreveu o Tesouro, diante da situação fiscal, "o espaço para redução de (despesas) discricionárias não mais se configura como alternativa para compensar o crescimento das despesas obrigatórias".
No acumulado dos sete primeiros meses do ano, informou ainda o Tesouro, o déficit primário do governo central ficou negativo em 51,073 bilhões de reais, também o pior dado para o período da série.
Para o ano, o governo tem como meta rombo de 170,5 bilhões de reais que, se confirmado, será o terceiro déficit primário consecutivo do país e o maior já registrado. Nos 12 meses até julho, o déficit já somava 163,34 bilhões de reais.

(Fonte: Exame.com / Reuters)
Cessar-fogo definitivo entre as Farc e o governo colombiano começa a valer
Começou a valer, na madrugada desta segunda-feira (29), o cessar-fogo definitivo entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia - as Farc - e o governo do país.
O cessar-fogo começou às 2h, no horário de Brasília. No domingo (28), em Cuba, o líder das Farc, Rodrigo Londoño, ordenou a todas as unidades do grupo que não entrassem mais em conflito contra o governo colombiano. Londoño disse que as Farc querem trabalhar por uma nova Colômbia e que a guerra acabou. "Acabó la guerra", anunciou.
Agora, as Farc devem virar um partido político. Na semana passada, o grupo e o governo anunciaram um acordo de paz, depois de 52 anos de conflitos. Em setembro, numa conferência que vai reunir seus membros, o grupo guerrilheiro deve ratificar esse pacto.
A população colombiana vai às urnas em outubro para decidir se aprova a medida. O conflito armado na Colômbia teve a participação de paramilitares e guerrilheiros esquerdistas que se transformaram em narcoguerrilheiros, sendo as Farc o maior deles. Durante o conflito de cinco décadas, mais de 200 mil pessoas morreram e 45 mil desapareceram.

(Fonte: Globo.com)

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Receita tira isenção fiscal do Instituto Lula por "desvio de finalidade"
O Instituto Lula perdeu a isenção fiscal durante o período de 2011 a 2014 por "desvios de finalidade", segundo o jornal Folha de S. Paulo. A Receita Federal puniu a entidade com uma multa milionária, entre R$ 8 milhões e R$ 12 milhões, cobrança de imposto de renda relativo ao período e contribuições sociais. O Instituto será comunicado formalmente durante essa semana sobre as cobranças.
A investigação, conduzida pela Polícia Federal, começou em dezembro do ano passado. Dentre as irregularidades apuradas está o repasse de R$ 1,3 milhão para a empresa G4 Entretenimento, pertencente ao filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Fábio Luís, e Fernando Bittar, dono do sítio de Atibaia, pois a Receita afirma que houve simulação de prestação de serviço como forma de transferência de recursos da entidade. Outras irregularidades apontam que houve pagamentos sem destinatários e aluguel de imóvel apontado como sede, mas que era diferente do endereço do Instituto. Os auditores apontam que o repasse se configura como desvio de funcionalidade.
O Instituto recebeu, durante o período, quase R$ 35 milhões em doações, sendo grande parte de empreiteiras como Odebrecht e Camargo Corrêa, envolvidas na Lava Jato. Os investigadores suspeitam que o Instituto tenha sido usado para lavar dinheiro do esquema de corrupção da Petrobras. O Instituto Lula declarou ao jornal, por meio de sua assessoria, que não iria comentar o assunto enquanto não fosse notificado.

(Fonte: Notícias ao Minuto)

domingo, 28 de agosto de 2016

Defensores do impeachment trocam de estratégia
Numa mudança de estratégia, os defensores do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, 'engrossaram' ontem a lista de senadores que questionaram o ex-ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, único integrante do primeiro escalão do governo da petista no rol de testemunhas de defesa. Na sessão, que durou cerca de 12 horas, ainda foi ouvido o professor Ricardo Lodi, na condição de informante.
A ideia inicial era repetir o que foi feito em boa parte das sessões anteriores e "esvaziar" o plenário para acelerar esta fase do julgamento. Tanto que apenas 17 senadores estavam inscritos para fazer perguntas ao ex-ministro, a maioria apoiadores da presidente afastada. Contudo, senadores favoráveis ao afastamento da presidente começaram a se inscrever para fazer o embate com Barbosa - ao final, 32 senadores fizeram questionamentos.
A ação teve por objetivo tentar desconstruir o discurso de Barbosa de que Dilma não cometeu crime de responsabilidade. Os questionamentos foram mais técnicos a Barbosa, com poucos momentos mais tensos. No dia anterior, o plenário havia se tornado palco de um bate-boca acalorado entre o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR).
Após as rusgas na noite de sexta Renan convidou senadores do PT para um jantar na noite de sexta. Participaram Jorge Viana (AC) e Lindbergh Farias (RJ). Viana afirmou que Renan reconheceu que se excedeu ao partir para o confronto com Gleisi. Na conversa, os petistas apelaram ao peemedebista para que pedisse aos parlamentares uma postura de respeito em relação a Dilma, que prestará depoimento amanhã.
Renan chegou a convocar uma reunião ontem a fim de discutir procedimentos da sessão. Antes do encontro, porém, senadores tentaram fechar um acordo por meio do qual base e oposição se intercalassem nas perguntas, mas governistas não concordaram. O encontro então foi cancelado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

(Fonte: Último Segundo)

sábado, 27 de agosto de 2016

Estudantes belgas deixam de capturar Pokémons para caçar livros
Esqueça Bulbasauro, Charmander, Pikachu e outros monstrinhos. Depois da febre mundial de Pokémon Go, o que vem fazendo sucesso entre os belgas é a brincadeira Chasseurs de livres (Caçadores de Livros, em português).
Inspirada pela realidade virtual do jogo da Nintendo, Aveline Grégoire, a diretora de uma escola primária na cidade belga de Farcienne criou um grupo no Facebook para procurar livros nas ruas. O conceito é bastante simples: o jogador escolhe um livro que queira doar ou compartilhar com outras pessoas, deixa em um local público e de fácil acesso e então posta uma foto no grupo, indicando onde a obra foi deixada. Depois que a pessoa terminar a leitura, deve retribuir: devolver o tesouro ou abandonar outro livro para que um próximo jogador possa também possa ler.
Ok, não é tão high-tech quanto Pokémon Go, mas nem por isso é menos atraente. A brincadeira foi criada no dia 12 de agosto e, desde então, 47.848 pessoas estão inscritas no grupo dos caçadores de livros. As obras variam de clássicos e livros infantis à livros de autoajuda e romances eróticos - a maioria deles é doada em embalagens plásticas para ficarem protegidos das mudanças do tempo. Junto com o livro, muitos jogadores escrevem uma carta ao próximo leitor ou a instrução do grupo, que diz: "Sou um livro abandonado. Me capture, me leia e me liberte na natureza".
Vendo a grande repercussão da brincadeira, a idealizadora, Aveline Grégoire, pensa agora em passar de fase e transformar o jogo em um aplicativo.
Se o leitor tiver sorte em encontrar os títulos certos, a caça aos livros pode realmente virar uma caça ao tesouro.

(Fonte: Superinteressante)

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Chapada Diamantina é indicada como uma das 20 maravilhas naturais do mundo
A Chapada Diamantina, na Bahia, foi indicada pelo Portal Terra como uma das 20 grandes maravilhas da natureza em todo o mundo. A galeria, que compõe a página Vida e Estilo, elenca, além da Chapada, outras quatro localidades brasileiras: Fernando de Noronha (PE); Lençóis Maranhenses (MA); Cataratas do Iguaçu (entre Brasil e Argentina); e o Monte Roraima, localizado entre Brasil e Venezuela. Entre os mais bonitos ambientes naturais do mundo, o portal também cita o Monte Fuji (Japão), os Lagos de Plitvice (Croácia) e as Torres el Paine (Chile).
O Parque Nacional da Chapada Diamantina, localizado no coração da Bahia, foi destacado pelo Terra como “um excelente destino turístico para praticar trekking em meio a visuais impressionantes e para praticar esportes radicais como rafting e rapel”. Além das belezas, que encantam visitantes vindos de todos os cantos do mundo, a exemplo da Cachoeira da Fumaça, Poço Azul e Gruta da Pratinha, a Chapada Diamantina também reserva uma cultura peculiar e uma rica história, com destaque para o ciclo diamantífero que transformou a região em um verdadeiro garimpo a céu aberto.
A região da Chapada Diamantina engloba 40 municípios turísticos, a uma distância de mais de 400 quilômetros, que podem ser percorridos de carro ou de ônibus. Para ter acesso facilitado, o turista pode partir de Salvador em um dos voos oferecidos pela Trip Linhas Aéreas, com saídas da capital baiana às quintas-feiras. O trecho de volta sempre é oferecido aos domingos. O tempo de voo entre os aeroportos de Salvador e de Lençóis é de aproximadamente 55 minutos.
Os amantes da natureza encontram na Chapada Diamantina opções de lazer durante todo o ano. Do verão ao inverno, os visitantes podem fazer desde programas leves – pequenas trilhas como a do Projeto Sempre Viva, no município de Mucugê, e visitas às vilas como a do Vale do Capão, no município de Palmeiras, e Igatu, em Andaraí – até atividades mais radicais, mais as trilhas da Cachoeira da Fumaça e do Vale do Pati, em que é preciso acampar e dormir em meio à natureza.
A temperatura na Chapada Diamantina é quase sempre alta durante o dia e aconselha-se que o visitante use roupas leves e claras. Já à noite, o friozinho faz com que todos se agasalhem. Durante o inverno, quando a temperatura cai bastante durante a noite, alguns hotéis e restaurantes servem fondue, acompanhado por bons vinhos, para quebrar o frio. A temperatura média durante a noite é de 15 a 18 graus.
Para quem gosta de música, boas pedidas são os festivais de Lençóis e de Jazz do Capão (Palmeiras). Durante os dias de festa, os visitantes costumam aproveitar para curtir as atrações ecoturísticas, mas a noite é de muito agito ao som de músicos brasileiros e estrangeiros. Já passaram pelos festivais nomes como Lenine, Sandra de Sá, Gilberto Gil, Naná Vasconcelos e a Orkestra Rumpilezz.

(Fonte: Jornal da Chapada)
PIB dos EUA tem alta anualizada de 1,1% no 2º trimestre
Washington - O crescimento econômico dos Estados Unidos foi um pouco mais lento do que inicialmente esperado no segundo trimestre, com queda agressiva dos estoques das empresas ofuscando a alta nos gastos do consumidor.
O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu à taxa anual de 1,1 por cento, informou o Departamento de Comércio nesta sexta-feira, em sua segunda estimativa para o PIB. O resultado foi um pouco abaixo da taxa de 1,2 por cento divulgada no mês passado.
A revisão também refletiu mais importações do que o estimado anteriormente, bem como fracos gastos por parte dos governos estaduais e locais.
A economia cresceu ao ritmo de 0,8 por cento no primeiro trimestre e 1 por cento no primeiro semestre de 2016. A revisão do crescimento do PIB no segundo trimestre ficou alinhada com as expectativas dos economistas.
A economia tem lutado para recuperar o impulso desde que a produção começou a desacelerar nos últimos seis meses de 2015, o que a coloca em risco de estagnação.
Embora os dados até agora para o terceiro trimestre tenham sido mistos, o mercado de trabalho forte deve continuar dando suporte aos gastos dos consumidores e ao crescimento nos próximos trimestres.
A produção também deve receber impulso, com as empresas reabastecendo os estoques após liquidá-los no segundo trimestre.
Os estoques empresariais caíram 12,4 bilhões de dólares no segundo trimestre, ante 8,1 bilhões de dólares no mês passado, a primeira queda desde o terceiro trimestre de 2011.
Os gastos dos consumidores foram revisados para cima para a taxa de 4,4 por cento --a mais rápida desde o quarto trimestre de 2014.
As importações foram revisadas para crescimento de 0,3 por cento, em vez de diminuir à taxa de 0,4 por cento. As exportações subiram de 1,2 por cento.

(Fonte: Exame.com)

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Cientistas descobrem "Segunda Terra" onde pode ter vida alienígena
Cientistas do Observatório Europeu do Sul (ESO) anunciaram nesta quarta-feira (24), a descoberta de um exoplaneta com características muito semelhante ao planeta Terra, informa o jornal alemão Der Spiegel.
De acordo com a publicação, a "Segunda Terra" está localizada em órbita na estrela Proxima Centauri, pertencente ao sistema da estrela Alpha Centauri, a aproximadamente 4 anos-luz do nosso planeta, uma distância relativamente pequena no espaço.
A existência da "Segunda Terra" abre inúmeras possibilidades de novas descobertas como, por exemplo, a existência ou não de vida extraterrestre.
De acordo com o estudo sobre a descoberta, publicado na revista "Nature", os seus autores explicam que o planeta recém-descoberto, batizado de Proxima b, tem massa apenas cerca de 30% maior que a da Terra e que as condições de temperatura lá, teoricamente, permitem a existência de água em estado líquido na sua superfície.
Os pesquisadores explicam que a descoberta identificou a presença de um planeta quente e de massa parecida com a da Terra, que orbita a estrela Proxima Centauri a cada 11,2 dias, a uma distância de 7,5 milhões de quilômetros, o que representa apenas 5% da distância entre a Terra e o Sol.
O Proxima B, nome dado ao planeta descoberto, está próximo do nosso Sistema Solar, a uma distância de quatro anos-luz. Isso indica, segundo cientistas, que futuramente poderemos viajar para visitar a "Segunda Terra".

(Fonte: Notícias Ao Minuto)

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Aeronáutica cassa condecoração de Dirceu e Genoino
BRASÍLIA - O comando da Aeronáutica decidiu cassar a condecoração concedida ao ex-ministro José Dirceu e ao ex-presidente do PT José Genoino, condenados no julgamento do mensalão. A decisão, assinada pelo comandante Nivaldo Rossato, foi publicada no último dia 18 no Diário Oficial da União e atendeu a um pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
Os dois tiveram as condecorações suspensas com base em um decreto de 2000, assinado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que exclui das honrarias aquelas pessoas que foram condenados em qualquer foro ou que tiverem seus direitos políticos perdidos ou suspensos.
Dirceu perdeu o grau de grande-oficial. E Genoino, de comendador. Em julho, a Marinha já havia retirado condecorações de ambos e de outros três ex-deputados condenados no mensalão: João Paulo Cunha (PT-SP), Roberto Jefferson (PTB-RJ) e Valdemar Costa Neto (PR-SP).
Após receber o aval para cumprir a pena do mensalão em casa, Dirceu voltou a ser preso por conta das investigações da Operação Lava Jato. Em maio deste ano, ele foi condenado a 23 anos e três meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e organização criminosa pela participação no esquema de corrupção da Petrobrás.
Genoino, por sua vez, foi condenado por corrupção ativa no mensalão e a uma pena de quatro anos e oito meses de prisão. Ele foi preso em 15 de novembro de 2013. No ano passado, recebeu perdão judicial com base no benefício do indulto de natal aprovado pela presidente afastada Dilma Rousseff.

 (Fonte: Estadão)
Terremoto na Itália deixa dezenas de mortos
Ao menos 38 pessoas morreram no terremoto de 6,2 graus de magnitude que abalou a região central da Itália na madrugada desta quarta-feira (24), informa a imprensa local.
O número de vítimas fatais pode ser ainda maior, já que muitas pessoas estão presas nos escombros dos edifícios que desabaram nas pequenas cidades de Amatrice e Accumoli, na região do Lacio, e Arquata del Tronto, na região de Marcas, as três mais afetadas pelo terremoto.
O prefeito de Accumoli, pequena localidade próxima ao epicentro do terremoto, afirmou que a cidade ficou praticamente destruída, com muitas pessoas sob os escombros.
O governo nacional convocou o exército para os trabalhos de resgate, muito complicados porque a região afetada é montanhosa e de difícil acesso.
O primeiro-ministro italiano Matteo Renzi cancelou todos os compromissos no exterior, em particular a participação nesta quarta-feira em uma reunião dos socialistas europeus em Paris.

(Fonte: MSN Notícias / AFP)

terça-feira, 23 de agosto de 2016

PT, especialista em destruição de reputações (O QUARTO ANTAGONISTA)
Notoriamente, o PT é inclemente com antigos aliados. Em tempos áureos de outrora, Michel Temer era um grande estadista, sisudo e hábil articulador político. Temer era tão competente que fora escolhido para coordenar a articulação política no segundo mandato de Dilma. Temer foi um vice irretocável da “presidenta”. Mas, o processo de impeachment transmutou tal lua de mel: Temer foi revestido com a roupagem de golpista. O PT é especialista em destruição de reputações, haja vista a difamação enveredada para Marina Silva, Marta Suplicy, Delcídio do Amaral, etc. Na lógica totalitária do PT, o militante deve ser membro ad eternum do partido. Parafraseando um trecho do hino do Flamengo, eis o dogma do PT: uma vez petista, sempre petista.

domingo, 21 de agosto de 2016

Prata de novo não! Vôlei é de ouro!
16 anos depois, a Seleção Brasileira masculina de vôlei volta a ser campeã olímpica. Neste domingo, a vitória por 3 a 0 sobre a Itália, parciais de 25-22, 28-26 e 26-24, encerrou a sequência de dois vices seguidos na competição. E fez a Rio-2016 terminar para os anfitriões com uma festa apoteótica no Maracanãzinho. Sétimo ouro na melhor participação do país em todos os tempos.
Protagonistas não faltam numa conquista tão marcante. A começar por Bernardinho, técnico do Brasil nas últimas quatro Olimpíadas, com dois ouros e duas pratas conquistadas. Viveu desta vez o mais difícil dos ciclos olímpicos, com problemas dentro e fora de quadra. E sai dele com a sétima medalha da carreira nos Jogos (tem ainda uma prata como jogador e dois bronzes com a Seleção Feminina). Sem contar três Mundiais e oito Ligas. Para poucos!
E o que dizer de Serginho Escadinha? O único representante em quadra do título em Atenas e das pratas em Pequim-2008 e Londres-2012. Aos 40 anos crava o nome na história olímpica do país como o jogador com mais medalhas em esportes coletivos. Um gênio da posição! E a simplicidade em pessoa.
O capitão Bruninho tira uma carga enorme dos ombros. O peso de ser filho do técnico e a responsabilidade de substituir dois mitos (Maurício e Ricardinho) foram enormes nos últimos anos. Tecnicamente ele não se compara com a dupla, mas compensa em outros fundamentos, na defesa, por exemplo, e com transpiração.
Wallace também merece uma citação especial. Foi o desafogo do time quando o passe não saiu. Os rivais sabiam que as chances aumentariam se os levantamentos ficassem concentrados nas bolas altas. E, na base da força, ele furou bloqueios. Na decisão foram 20 pontos.
Seria injusto não citar Lucarelli e Lipe. Saíram machucados nas quartas de final. Eram dúvidas para a semi. O primeiro só entrou em quadra, com um estiramento na coxa, por ser jogo decisivo. O segundo, reserva no início da Rio-2016, ganhou espaço, fez a diferença com um saque demolidor em diversos momentos e, com muito coração, sempre incendiando a torcida.
Obrigado pelos bloqueios, Maurício Souza e Lucão! Parabéns pelo título, William, Evandro, Maurício Borges, que entrou no fim do terceiro set da final, Éder e Douglas Souza. A tarde deste domingo encerra uma jornada que esteve perto de ser rotulada como vexame. Aquele jogo contra a França, na última rodada da primeira fase, era vida ou morte. Foi mais do que vida! Foi ressurreição. E uma semana depois, com direito a 3 a 0 na Rússia e na Itália, todos vocês são ouro!

(Fonte: Lance!)
A arqueologia do impeachment
Por Marco Antonio Villa

Depois de muita luta estamos sepultando o projeto criminoso de poder. A mobilização da sociedade civil foi o fator decisivo da vitória histórica. Não custa lembrar que a defesa do impeachment, em meados do ano passado, era considerado um sonho – ou, para alguns, uma ação irresponsável, que poderia levar o País à guerra civil. Dilma Rousseff iniciou seu segundo mandato ainda com razoável capital político. As elites empresarias continuavam satisfeitas. Não se viu à época nenhuma manifestação da oposição. Tudo indicava que o PT governaria tranquilamente por mais quatro anos. Contudo, a ânsia de poder absoluto do petismo levou a cometer um grave erro ao lançar candidato próprio à presidência da Câmara. Perderam. E ganharam em Eduardo Cunha um adversário. Foi em fevereiro. No mês seguinte, convocadas pelos movimentos independentes, em todo o País ocorreram manifestações, a 15 de março. Foi um sucesso. Em São Paulo, centro principal de oposição ao projeto criminoso petista, a avenida Paulista foi tomada, de ponta a ponta, por milhares de manifestantes.
Em Curitiba, a Operação Lava Jato continuava a pleno vapor. E atingia o coração do PT ao desvendar o maior escândalo de desvio de recursos públicos da história, o petrolão. As sucessivas revelações foram desgastando o que tinha sobrado de capital ético do PT. As provas eram evidentes – e envolviam a direção partidária, chegando até Lula e Dilma.
Porém, a oposição parlamentar fazia ouvidos de mercador. Timidamente se posicionava frente à quadrilha petista. Temia a mobilização popular – e alguns receavam serem atingidos pela Lava Jato. Mesmo após outras três grandes manifestações de rua (abril, agosto e dezembro), a oposição ainda vacilava. Dava ao PT um poder de mobilização que, há anos, não tinha. Pintava Lula como um perigoso líder de massas, o que não correspondia à realidade. Temiam os movimentos sociais, instrumentalizados pelo PT, e as centrais sindicais, ignorando o peleguismo e a escassez de apoio popular. No fundo, a oposição não queria cumprir o seu papel. Imaginava ser possível desgastar o governo, para, daí sim, vencê-lo em 2018. Era a tática equivocada adotada em 2005, quando da crise do mensalão. Mas, dessa vez, as ruas é que deram o rumo. Ao invés da conciliação, o enfrentamento. E estavam certas.

(Fonte: Blog do Villa)

sábado, 20 de agosto de 2016

Neymar decide, Brasil vence Alemanha nos pênaltis e consegue 1º ouro
O Brasil conseguiu no estádio do Maracanã, a medalha de ouro no futebol masculino dos Jogos Olímpicos. No tempo normal, os comandados de Rogério Micale fizeram mais um bom jogo, mantendo o nível atingido desde a goleada por 4 a 0 contra a Dinamarca. O gol de abertura do placar saiu dos pés de Neymar, em cobrança de falta perfeita, no ângulo do goleiro. Já os visitantes, atrapalhados algumas vezes pelo travessão, igualaram na etapa final com um gol de Meyer. Depois da prorrogação, também zerada, Weverton pegou um pênalti e Neymar fechou o placar em 5 a 4.
Com o resultado, a Seleção soma seu primeiro ouro nos Jogos Olímpicos, em qualquer uma das modalidades. A busca ocorria principalmente após as derrotas na década de 80, além do 2 a 1 sofrido para o México em Londres, quatro anos atrás. Foi também o sexto ouro do país nesta edição.
Antes, o Brasil havia ficado na segunda colocação nos torneios de futebol masculino das edições de 1984, 1988 e 2012, essa última já com Neymar no comando da seleção. Os alemães, por sua vez, só contavam com um título da Alemanha Oriental, nos Jogos de 1976. A conquista, no entanto, não é computada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) à Alemanha unificada.

(Fonte: Gazeta Esportiva)
Dilma pretende constranger seus ex-ministros
Ao fazer sua defesa pessoalmente no processo de impeachment, a presidente afastada Dilma Rousseff citará ex-ministros que hoje são seus julgadores para mostrar que todos eles acompanharam sua gestão no governo. A ideia é constranger ao menos seis senadores, que integravam o primeiro escalão e, na madrugada do dia 10, viraram seus algozes.
A lista dos que foram ministros de Dilma e votaram para transformá-la em ré no processo é composta por Eduardo Braga (PMDB-AM) – que também ocupou o cargo de líder do governo no Senado –, Edison Lobão (PMDB-MA), Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), Marta Suplicy (PMDB-SP) e Marcelo Crivella (PRB-RJ).
Dilma irá ao plenário do Senado no próximo dia 29 e já começou a se preparar para a sabatina. No Palácio da Alvorada, ela participará de um treinamento político para que seja capaz de rebater questionamentos duros, sem sair da linha. A “aula” jurídica será dada por José Eduardo Cardozo, o advogado responsável por sua defesa.
Em reunião no Alvorada nesta quinta-feira, 18, os senadores Humberto Costa (PE), Paulo Rocha (PA) e José Pimentel (CE), todos do PT, explicaram a Dilma o formato da sessão de impeachment, a ser comandada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), adiou para a manhã desta sexta-feira, 19, um encontro com a presidente afastada para discutir os detalhes da participação dela no julgamento. Renan embarcou na tarde desta quinta-feira para o Rio com o presidente em exercício Michel Temer. Foi a primeira vez que os dois viajaram juntos desde 12 maio, quando Dilma foi afastada do cargo.

(Fonte: MSN Notícias / Estadão)
Isaquias Queiroz: novo fenômeno do esporte brasileiro
'Ladrão' de doces e confundido com 'vagabundo'; veja histórias do novo fenômeno brasileiro.

Isaquias Queiroz é o novo fenômeno brasileiro. Com três medalhas na canoagem dos Jogos do Rio 2016, o baiano de Ubaitaba virou ídolo instantâneo do povo após as conquistas nas provas C1 200m, bronze, e C1 1.000m e C2 1.000m, ambas prata.
Com o pódio garantido, ele virou o primeiro brasileiro na história a conseguir três medalhas em uma mesma edição de Olimpíada.
Mas quem de fato é esse canoísta de apenas 22 anos que conquistou o público brasileiro?
O ESPN.com.br conversou com algumas pessoas que contaram histórias curiosas do atleta, para quem sabe nós entendermos um pouquinho mais do lado humano do nosso medalhista.
Confira, a seguir, os causos:

Rim solto
"Ele era muito arteiro, né, não gostava muito de escola, não. Aí teve essa queda. Ele caiu da árvore lá embaixo, ficou dois dias e meio na UTI, mas Deus me deu ele de volta. O médico chegou e falou pra mim que ele estava com o rim solto dentro da barriga" - Dona Dilma, mãe de Isaquias Queiroz.

Ladrão de Doces
"Tinha a quermesse da nossa cidade, a festa junina, aí ele me chamou. E começamos a roubar as merendas lá, tinha amendoim, milho cozido, a gente levava tudo de lá para a quadra" - Lucas, irmão mais novo de Isaquias Queiroz.

Rivalidade?
"Eu sou Flamengo, o Lucas é Corinthians e o Isaquias é São Paulo eu acho" - Isaac, irmão mais velho de Isaquias Queiroz.

Salto em distância
"A gente gostava muito de brincar também quando tinha um areião, às vezes, aí a gente imitava estar dando uns saltos, tipo na Olimpíada" - Lucas, irmão mais novo de Isaquias Queiroz.

Mergulho
"O que a gente mais gostava de fazer quando criança era brincar no rio, de mergulhar, passava o dia lá, brincando de pega-pega ou fazia guerra de barro. Também jogava muita bola no paralelepípedo" - Isaac, irmão mais velho de Isaquias Queiroz.

Bota nova?
"Uma vez cheguei do trabalho, ele estava em casa sem trabalhar. Olhei e logo vi, perguntei: 'Eu não tenho condição de te dar essa bota, quem lhe deu isso?' Ele disse: 'Um amigo'. Respondi: 'Que um amigo o que, não quero que pegue nada de ninguém sem precisar', ele com uma bota bonita daquelas. Falou que foi o amigo. Ameacei dar duas 'molecas', aí o rapaz veio e disse que deu para ele brincar. Falei para ele: 'Filho, um dia você não vai precisar pegar dos outros e vai ter do bom e do melhor'. E hoje ele me ajuda bastante, conseguiu" - Dona Dilma, mãe de Isaquias Queiroz.

Fralda
"Ele teve uma queimadura [líquido quente] com três anos de idade, assim, do lado da barriga. Os médicos desenganaram, aí eu falei, ‘doutor, vou levar meu filho porque eu sei que ele não vai sair daqui'. Aí, levei e curei em casa. Nesse tempo, ele ainda usava fralda, eu tive que deixar ele sem fralda e aí rapidinho sarou" - Dona Dilma, mãe de Isaquias Queiroz.

Vagabundo?
"Tem até uma história curiosa, rapaz. Uma vez Isaquias estava aqui em Ubaitaba, que ele aqui anda de boa na rua, entendeu, tranquilão mesmo, que ele é muito humilde. Aí, ele estava passando na frente do banco e tinha um policial que não era no daqui da cidade, um tenente. Aí, Isaquias passou do jeito dele, sem camisa, mostrando as tatuagens, né, e o policial já foi olhando pra ele assim, tipo, já achando que era um vagabundo e ia enquadrar, entendeu? Aí, eu disse, ei, esse aí não é vagabundo, não, viu, esse aí é Isaquias, pô, é campeão mundial e filho da cidade aqui" - Jackson Cristiano, radialista de Ubaitaba, cidade de Isaquias Queiroz, que tem um programa diário na "Rádio Ubaitaba FM" e é o responsável pelo site "Ubaitaba Urgente".

(Fonte: ESPN)

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Debaixo de chuva, Alison e Bruno Schmidt batem italianos e ganham o ouro
Nem mesmo a chuva foi capaz de parar o ímpeto de Alison e Bruno Schmidt na busca pela medalha de ouro.
Debaixo de um dilúvio em Copacabana na madrugada desta sexta-feira, os brasileiros contaram com a Arena do Vôlei de Praia lotada para vencer os italianos Daniele Lupo e Paolo Nicolai na grande decisão da medalha de ouro.
Os brasileiros fecharam a partida em 2 sets a 0, parciais de 21-19 e 21-17.
Antes dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, os dois haviam falado que abdicaram de jogar o máximo que poderiam no circuito mundial para priorizar a Rio 2016. E o esforço de ambos foi recompensado.
Este resultado dá a primeira medalha de ouro para o Brasil no vôlei de praia - a terceira no geral - desde 2004, quando Emanuel e Ricardo subiram no lugar mais alto do pódio.
Foi ao lado do mesmo Emanuel que Alison conquistou a medalha de prata em Londres-2012. O "mamute" agora coleciona também o ouro inédito ao lado do companheiro brasileiro que fez sua estreia olímpica.
Na final desta sexta, Nicolai e Lupo chegaram a comandar o placar no início, mas o Brasil reagiu e fechou o primeiro set em um bloqueio de Alison. Na segunda parcial, os italianos voltaram a começar na frente. O dueto local, empurrado pela torcida, reagiu de novo e ganhou o ouro em mais um bloqueio de Alison.
Bruno Schmidt é sobrinho de Oscar Schmidt. Campeão pan-americano em Indianápolis 1987, o ex-jogador de basquete disputou cinco edições dos Jogos Olímpicos entre 1980 e 1996, mas não conseguiu medalhar. Ainda assim, é o maior cestinha da história da competição.

(Fonte: ESPN)
O 'horror de Aleppo' em imagem de menino que sobreviveu a ataque aéreo na Síria
A imagem de um menino ferido após um ataque aéreo à cidade síria de Aleppo está circulando nas redes sociais e chamando atenção para o desespero das vítimas do conflito no país.
Segundo relatos, o menino seria Omran Daqneesh, de cinco anos de idade. Ele foi uma das vítimas de um ataque aéreo que deixou três mortos e 12 feridos no distrito de Qaterji, controlado por rebeldes e alvo de uma ofensiva aérea por parte de forças do regime Assad.
Cinco delas seriam crianças, segundo disseram à agência AP grupos de oposição.
Nesta quinta-feira (18), o enviado especial da ONU à Síria, Staffan de Mistura, cancelou uma reunião humanitária no meio do encontro, citando sua "insatisfação profunda" com a continuidade dos combates e criticando os dois lados do conflito.
As imagens do menino, divulgadas pelo grupo de oposição Aleppo Media Center, mostram a criança sendo levada para uma ambulância, onde fica sentada com olhar atordoado e com parte do rosto coberta em sangue.
No vídeo, ele passa a mão no rosto e examina as manchas de sangue antes de limpar a mão na cadeira. Depois, as equipes de resgate trazem duas crianças e um homem, também feridos no ataque. Segundo os relatos, Omran Daqneesh está se recuperando com a família.
"A face atordoada e ensaguentada de uma criança sobrevivente resume o horror de Aleppo", disse Adib Shishakly, que integra o grupo de oposição Conselho Nacional Sírio.
No ano passado, a imagem do menino sírio Alan Kurdi, de três anos, que morreu afogado na travessia do Mar Mediterrâneo e terminou sendo levado pela maré para uma praia na Turquia, chamou atenção para a situação dos refugiados sírios que deixam o país por conta do conflito.

Geração guerra

Segundo o Unicef, cerca de 100 mil crianças vivem em áreas sob controle rebelde em Aleppo.
Em um relatório publicado em março, o braço da ONU para a infância estima que cerca de 3,7 milhões de crianças - uma em cada três no país - não conhecem outra realidade além do conflito que já dura cinco anos.
O enviado da ONU, De Mistura, estima que 400 mil pessoas tenham morrido no conflito sírio. Centenas de pessoas, só nas últimas semanas em Aleppo, segundo organizações que monitoram o conflito.
Dividida entre o oeste, controlado pelo governo, e o leste, dominado por rebeldes, a cidade é palco de uma disputa sangrenta que já dura quatro anos.
A batalha se intensificou desde que distritos controlados por rebeldes foram cercados em julho, explicou Shashank Joshi, pesquisador-sênior do Royal United Services Institute, em artigo na BBC.
"Estima-se que de 250 mil a 300 mil civis estejam presos em partes de Aleppo que estão sob controle rebelde desde julho. E os governos sírio e russo têm se demonstrado dispostos a conduzir bombardeios aéreos em áreas civis, enquanto rebeldes conduzem ataques, na maioria das vezes ataques de artilharia, em áreas populosas. Hospitais têm sofrido, intensificando a crise humanitária", escreveu Joshi.

'Insatisfação profunda'

Nesta quinta-feira, Staffan de Mistura condenou os dois lados do conflito, dizendo que os combates impediram que os comboios humanitários chegassem à cidade no último mês.
De Mistura disse que abandonou uma reunião em Genebra após apenas oito minutos, "como sinal de profunda insatisfação com a falta de pausa" no conflito.
"Na Síria, o que estamos ouvindo e vendo são apenas ofensivas, contraofensivas, foguetes, bombas, canhões, napalm, cloro, atiradores, ataques aéreos, ataques suicidas a bomba", disse.
"Nenhum comboio humanitário alcançou qualquer das áreas dentro do cerco. Nenhum. Por quê? Por uma razão: os combates. A prioridade nesse momento, claramente pelo que podemos ver, são os combates."

(Fonte: Último Segundo)

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Casarões do Vale: História, Memória e Patrimônio
Casarões do Vale: História, Memória e Patrimônio[1]

Maria Fernanda Oliveira Marques[2]

Este texto tem como objetivo divulgar o patrimônio arquitetônico e histórico de alguns municípios baianos do Território de Identidade do Vale do Jiquiriçá – Amargosa, Brejões, Jiquiriçá, Santa Inês e Ubaíra – através da análise da arquitetura de casarões construídos entre a segunda metade do século XIX e a primeira metade do século XX.
A região do Vale do Jiquiriçá está situada numa faixa intermediária entre a zona litorânea e o sertão baiano. O processo de colonização do território ocorreu, sobretudo, entre os séculos XVIII e XIX, influenciado pelo movimento de interiorização, provocado, principalmente, pela mineração e pela criação de gado. Os municípios analisados neste trabalho fazem parte de uma área de predominância rural ao Sul do Recôncavo, onde o cultivo agrícola foi distinto do poderio da produção açucareira, predominando, inicialmente, uma agricultura de subsistência cuja base sustentava-se no cultivo da mandioca, na produção de fumo e na criação de gado destinado, principalmente, para o consumo local.
A partir da segunda metade do século XIX, o plantio do café começou a se expandir na região, tornando-se a lavoura de maior destaque. Contudo, o desenvolvimento da economia cafeeira não teria sido possível sem a estrada de ferro: as tropas não teriam condições de escoar uma ampla produção por grandes distâncias. A implantação da rede ferroviária no final do século XIX, na região, e a valorização do café no mercado mundial, foram fundamentais para a expansão do plantio e do cultivo do grão, que teve o escoamento e a exportação favorecidos pelo transporte ferroviário.
Enriquecida pela produção de gêneros como o café e o fumo, entre o final do século XIX e o início do século XX, acrescida das facilidades no transporte de mercadorias, bens e serviços proporcionadas pelo advento da ferrovia Tram-Road de Nazareth na região, a elite econômica e política estava em condições de acompanhar os modismos da arquitetura; de modo que, nos municípios pesquisados, ainda resistem alguns belíssimos exemplares de uma arquitetura onde a presença de ornamentos caracterizados por elementos decorativos, como estuques em temáticas florais, volutas e outros símbolos, ganham importância nas fachadas, demonstrando status social e as relações de poder.
A maioria dos imóveis catalogados pertence, ou pertenceu, a famílias e grupos sociais privados que detinham o poder político e econômico na região. Em alguns destes municípios, muitos imóveis foram apropriados pelos poderes públicos, a exemplo das estações ferroviárias que, com a desativação da ferrovia, foram adaptadas para atividades do setor público municipal ou estadual, tais como: cadeia pública, escolas ou centros administrativos, como prefeituras e secretarias municipais.
O levantamento arquitetônico realizado através dos imóveis catalogados versa sobre uma arquitetura onde coexistem variadas técnicas, programas e estilos. Por meio da análise, principalmente das fachadas, do corte dos vãos, dos elementos decorativos, das platibandas, frontões ou beirais e da distribuição do imóvel na dimensão do terreno, foi possível identificar imóveis que remetem a influências do período e estilo colonial, neoclássico, eclético e, ainda, Art déco. Desse modo, observa-se que a arquitetura, assim como tudo que perpassa por ações humanas, não é estática, e ao longo do processo de formação e desenvolvimento das cidades pesquisadas, passou por variações.
O patrimônio material, aqui representado pela arquitetura, é importante espaço de preservação da história, pois possui íntima relação com os aspectos econômicos, sociais e culturais que marcam cada sociedade. No campo sociocultural, esses edifícios são lembrados pelos indivíduos como espaços de acontecimentos e de vivências, ou mesmo como parte da paisagem local que permite o reconhecimento do lugar, tornando a cidade um tipo de escrita, às vezes construída por fragmentos, mas que figura uma leitura, onde as marcas da história ficam nos caminhos percorridos pelos indivíduos, nos traçados de suas ruas, nas concepções de suas praças, experimentadas por tantas gerações.
Os imóveis onde se reside, trabalha, estuda e que compõem o cenário no qual a população transita e dialoga no dia-a-dia, são testemunhos da história da comunidade, simbolizam o “saber fazer” da ocasião em que foram edificados e fazem parte do cotidiano das pessoas. Essas construções se entrelaçam na vida e nas experiências dos indivíduos, e se tornam “lugares de memória”, representações não só de um jeito de viver, como de um modo de ser que, resistindo por décadas ou séculos, fazem parte da vida de gerações contemporâneas e passadas, são heranças deixadas que interligam as pessoas entre o passado edificado e o dinâmico mundo atual.

(Fonte: www.bahiacomhistoria.ba.gov.br)




[1] Este projeto foi contemplado pelo Edital nº 29/2012 – Patrimônio Cultural, Arquitetura e Urbanismo da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, sendo executado com apoio financeiro: IPAC, Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Secretaria da Cultura, Governo do Estado da Bahia.
[2] Graduada em história pela Universidade Estadual do Estado da Bahia – UESB, atuou como pesquisadora e produtora do projeto.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Menino de 12 anos vai estudar em universidade de ponta
O americano Jeremy Shuler, de 12 anos, começará as aulas no fim de agosto em um lugar incomum para outros meninos de sua idade: a Universidade Cornell, em Nova York. Antes de chegar à adolescência, o prodígio foi aceito em uma das oito instituições de ensino mais prestigiadas do Estados Unidos, que formam o seleto grupo conhecido como Ivy League.
A nova conquista acadêmica de Jeremy é apenas mais uma das metas que ele atingiu antes do tempo esperado. Aos 6 meses começou a falar e aos 2 anos já lia sozinho em inglês e coreano, a língua nativa de sua mãe. Foi nessa época que sua família percebeu que não seria suficiente matriculá-lo no jardim de infância e decidiu educar Jeremy em casa, já que nem as escolas para superdotados supriam seu desejo de aprender.
Por influência dos pais, Harrey e Jeremy Shuler, ambos engenheiros, o menino logo começou a se interessar por matemática e já estudava pré-cálculo aos 5 anos. Agora, por escolha própria, irá cursar a graduação em Engenharia Física e Matemática e será o aluno mais novo a estudar na Cornell desde sua fundação, em 1865.
A experiência de Jeremy na faculdade, porém, será um pouco diferente da que seus colegas viverão. Como ele é muito novo para ficar sozinho nos dormitórios da universidade, seu pais se mudaram do Texas para Nova Iorque para que o menino possa ir às aulas e morar com a família. Harrey, sua mãe, também vai acompanhá-lo pelo campus na primeira semana de aulas e ajudará o menino a se adaptar.
Animado, o pequeno prodígio não se assusta com o desafio de estudar com colegas mais velhos ou de frequentar disciplinas avançadas. “Eu acho que vou adorar estudar na Cornell. Tenho me preparado para a faculdade há bastante tempo”, contou Jeremy ao jornal The Washington Post. “Vai ser uma mudança, mas eu gosto disso!”

(Fonte: MSN Notícias / Veja)

CURTA!