.

.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

“Reforma Trabalhista: entre a realidade e a ficção” por José Júnior

O debate sobre as reformas ganhou corpo nos últimos dias. Importante! Pois todos devemos procurar saber e conhecer as propostas que podem influenciar nosso futuro. Porém é interessante todo cuidado com as enxurradas de textos de grupos de “WhatsApp” que mais desinforma do que informa, os chamados “Fake News”.
Na Reforma Trabalhista, por exemplo, já saiu de tudo um pouco. Que vai acabar com isso, com aquilo. E não é bem assim... O principal foco da reforma é dar flexibilidade às Leis Trabalhistas, trocando em miúdos, permitir que empresas e trabalhadores celebrem acordos dependendo das demandas de cada categoria e com a intermediação dos sindicatos. Um exemplo da otimização desses acordos, ocorreu durante a atual crise que trabalhadores e empresas negociaram e evitaram o fechamento de várias fábricas e a demissão de muitos trabalhadores em diversas regiões do país. Flexibilizar é também tornar a legislação mais atual, datada de 1943, a CLT foi criada na época em que o Brasil era completamente agrário. Hoje o Brasil está dentro de uma cadeia produtiva global e vivenciando a Era da Informação, onde existe uma diversidade inumerável de relações de trabalho completamente diferenciadas das de outrora.
Tão importante quanto proteger os direitos dos trabalhadores é propiciar um bom ambiente de negócio para que empreendedores e empresas invistam.  Em muitos casos em função da rigidez das leis, os empregadores se retraem devido aos custos de contratação e aos possíveis processos trabalhistas e contratam um número menor de trabalhadores, ou seja, são menos empregos. Pequenas, médias e grandes empresas quando são acionadas pela Justiça do Trabalho, invariavelmente, já sentam no banco dos réus como se fossem vilões execráveis e que devem ser punidas indistintamente.   
Um caso bem simbólico no nosso contexto regional é a famosa empresa Lagoa do Morro (Agribahia). A Lagoa do Morro não foi embora só por causa da seca, um dos fatores importantes que mobilizou a empresa ir embora foi a rigidez do Ministério do Trabalho na época. Mesmo sendo uma empresa exemplar que respeitava seus trabalhadores e gerava muitas divisas para o município de Brejões, os fiscais do trabalho quase sempre vinham bater à porta da empresa cada vez fazendo mais exigências e procurando algum tipo de falha para aplicar multas. Pois... Pois... A empresa não resistiu aos imbróglios trabalhistas e as intempéries e foi-se embora.
Outro exemplo, esse em escala nacional, é de empresas brasileiras que recentemente arrumaram as malas, cruzaram a fronteira e foram produzir no Paraguai. Isso mesmo! Empresas brasileiras perceberam que é melhor produzir no país vizinho do que aqui em função dos crescentes encargos.
Cuidado com posicionamentos sobre a Legislação Trabalhista, pois ao dizer não à reforma podemos está mandando nossos empregos para os paraguaios.
A dica é a seguinte: antes de formar opinião sobre as reformas trabalhistas e também previdenciária leia, pesquise, investigue bastante para não se deixar levar pelos textos apócrifos e pelos “Fake News”.


José Júnior, 26/04/2017

Mulher enfrenta blindado na Venezuela e vídeo viraliza

A imagem do protesto solitário e pacífico rodou a internet e comoveu as redes sociais

O ato de uma mulher na Venezuela chamou a atenção do mundo todo. A ‘mãe de todas as marchas’, manifestação convocada pelos opositores ao governo de Nicolás Maduro, foi marcada por grande repressão. No meio de muitas bombas de gás e tiros, um vídeo registrou o momento em que uma mulher enfrentou um veículo blindado do governo de Maduro que avançava contra a multidão.
A mulher vestida de branco e enrolada em uma bandeira da Venezuela se coloca na frente do blindado, que para e chega a dar marcha ré. É possível ver o momento em que uma bomba de gás é atirada de dentro do veículo. A imagem do protesto solitário e pacífico rodou a internet e comoveu as redes sociais. A realidade mostrada no vídeo contrasta com a violência devastadora registrada na repressão à ‘mãe de todas as marchas’, que deixou dois mortos e mais de cem detidos.
Segundo relatos, durante o ato contra o governo de Maduro, civis encapuzados conhecidos como colectivos – milicianos armados pelo governo – dispararam contra os manifestantes na praça. Os dois mortos durante os protestos eram Carlos José Moreno Baron, um adolescente de 17 anos, e Paola Ramírez Goméz, de 23 anos. Ambos foram assassinados com tiros na cabeça.
(Fonte: Veja)


Ser canibal no paleolítico trazia mais trabalho que benefícios

Pesquisa mostra que, para nossos antepassados, comer humanos não era uma saída para a fome - servia mais como um instrumento de controle social

O consumo de carne humana por nossos ancestrais paleolíticos não tem relação direta com a falta de alimento. Ainda que a fome fizesse o homem primitivo enxergar em seus semelhantes uma saída para suprir sua cota diária de proteínas, esse esforço não compensaria o retorno nutricional. É o que afirma um estudo feito na Universidade de Brighton, na Inglaterra, e publicado na revista científica Science Reports.
Um homem adulto de 66 kg poderia fornecer por volta de 144 mil calorias. Só que apenas cerca de 32 mil delas estão nas partes mais, digamos, tragáveis. Esse total corresponde à energia fornecida pelos músculos esqueléticos – partes que provavelmente seriam privilegiadas em um banquete canibal.
Abater um antílope ou um javali, por exemplo, representaria o mesmo ganho energético, com a vantagem de essas serem iguarias bem mais fáceis de obter. Além disso, outras opções de animais da época poderiam ser alternativa de melhor custo-benefício. Segundo o estudo, a carne de um cavalo, por exemplo, representaria um ganho nutricional na casa das 200 mil calorias. Os mais ousados poderiam se arriscar em caças ainda mais rentáveis, como a de ursos (600 mil calorias) ou mamutes, cuja carne dá conta de alimentar 25 homens por um mês.
As presas humanas, por sua vez, antes de virarem jantar de algum cavernoso por aí, ofereceriam resistência ainda maior – o que implica, por si só, em um enorme gasto de energia. Caso tivesse sucesso na luta corpo a corpo, no melhor estilo vale-tudo, o vencedor tomaria para si suprimentos que durariam uma única semana. Esse esforço, segundo James Cole, arqueólogo responsável pelo estudo, não justificaria o canibalismo. “Você teria que armar uma emboscada para caçar essas presas, que não estariam esperando calmamente você acertá-las com uma lança”, disse em entrevista à National Geographic.
No entanto, a prática existiu. E evidências encontradas nas escavações analisadas pelo estudo permitem precisar que, sim, os hominídeos mais antigos se alimentavam de seus semelhantes há pelo menos meio milhão de anos.
A hipótese mais amplamente aceita, inclusive debatida por estudos anteriores, é de que a prática de comer carne humana seria cultural, integrando rituais comumente realizados entre grupos da época. Cole, no entanto, sugere que o canibalismo do período paleolítico tinha apelo mais social, e menos ritualístico. Como se uma coleção de ossos dentro da caverna pudesse servir de aviso a semelhantes que estivessem atrás de encrenca. “ Poderia ser algo como: ‘Temos nosso território, essas pessoas são invasoras e o estão desrespeitando. Precisamos resolver isso de alguma forma’”, explicou em entrevista ao site Motherboard.

(Fonte: Superinteressante)

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Líder do PT diz, 'Se Palocci fizer delação, Brasil vai sofrer terremoto'

O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (SP), classificou como um “verdadeiro terremoto” a eventual delação premiada do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci. Na avaliação do líder petista, Palocci tem muito a contar sobre as relações políticas com grupos econômicos. “Nós não sabemos exatamente o que o Palocci tem a dizer, mas a gente tem certeza que ele tem muito para falar, inclusive sobre os grandes grupos econômicos brasileiros, o capital financeiro, os grandes bancos e as grandes redes de comunicação”, afirmou Zarattini, que participa nesta segunda-feira, 24, do seminário “Estratégia para a Economia Brasileira – Desenvolvimento, Soberania e Inclusão”, promovido pelas lideranças do PT na Câmara e no Senado e pela Fundação Perseu Abramo, em Brasília.

“Não sabemos exatamente o que ele pretende, mas, com certeza, se ele falar sobre o que tem conhecimento, o Brasil vai sofrer um verdadeiro terremoto no meio empresarial”, disse.

Na semana passada, em depoimento ao juiz Sérgio Moro, Palocci deu indicações sobre sua disposição em fazer um acordo de delação premiada, ao sugerir que tem muito a contar sobre os esquemas investigados pela Operação Lava Jato.

Entre as lideranças do PT presentes no encontro desta segunda-feira estão a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o senador Humberto Costa (PE), o presidente da sigla, Rui Falcão, e o ex-presidente da Petrobras Sérgio Gabrielli. A previsão é de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva compareça ao encontro no final da tarde.

(Fonte: ISTOÉ)

AMARGOSA: FEIRA CHIQUE ATRAIU GRANDE PÚBLICO AO PARQUE DE EXPOSIÇÕES

foto editada por OUTRO OLHAR/ FONTE: PARÓQUIA N.S.B.C / VALE FM
foto editada por OUTRO OLHAR/ FONTE: PARÓQUIA N.S.B.C / VALE FM
A Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho de Amargosa realizou neste domingo (23), no Parque de Exposições, a 15ª edição de Feira Chique. O evento acontece todos os anos durante a festa da padroeira da cidade. 
Após a Celebração Eucarística, centenas de pessoas aproveitaram a manhã de domingo para degustar café da manhã e lanches, bem como brincadeiras para as crianças, venda de artesanatos, apresentações culturais, almoço, venda de frutas e verduras, entre outras atividades ao longo de todo o dia. O evento contou ainda com a realização de um leilão que teve como objetivo angariar fundos para a realização da Festa da Padroeira. 

Festa da Padroeira de Amargosa em 2017 terá a culminância nesta quarta-feira 26 de abril.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Prefeito de Amargosa decreta aumento do próprio salário para mais de 18 mil reais, valor superior ao salário do prefeito de SP.


O prefeito de Amargosa Júlio Pinheiro (PT) publicou em Diário Oficial na data de 19 de abril a suspensão do Decreto N° 012 de 12 de Janeiro de 2017, que congelou a remuneração do Prefeito e do Vice-Prefeito em 26,20%.O documento foi assinado no último dia 06 de abril, e só foi divulgado no diário oficial nesta quarta-feira (19), quase 15 dias depois. 
Com a publicação do decreto assinado pelo Prefeito local, o salário do mesmo volta a ser de R$ 18.973,00 (dezoito mil, novecentos e setenta e três reais) e o do Vice-Prefeito de R$ 9.468,50 (nove mil, quatrocentos e sessenta e oito reais e cinquenta centavos).
Usando como parâmetro a cidade de São Paulo, maior capital do país, município que ultrapassa 11 milhões de habitantes, o prefeito João Dória (PSDB) faz doação a entidades de assistência social do salário no valor de R$ 17.948,00, conforme havia prometido em campanha. Se somado o valor doado pelo prefeito da capital paulista nos próximos quatro anos, a estimativa é de que o  total da doação se aproxime a 1 milhão de reais.

terça-feira, 18 de abril de 2017

Viagem turística ao redor da Lua está prestes a acontecer

Space X marcou tour com dois turistas espaciais para 2018

Depois de decolar, com sucesso, a missão de transportar suprimentos para a Estação Espacial Internacional, em voo não tripulado, a Space X quer levar turistas para um tour pela Lua.
Se tiver alguns milhões de dólares no bolso, pode se candidatar à segunda saída da espaçonave, já que a primeira excursão com dois "turistas" foi fechada. A viagem está programada para 2018.
Conforme a CNN, os nomes dos passageiros não foram divulgados nem a quantidade de zeros transferidos para a conta da empresa espacial norte-americana, mas a primeira parcela do pagamento foi confirmada.
Os viajantes têm uma série de testes e treinamentos agendados já para este ano. A partida será de Cabo Canaveral, na Flórida, mesma plataforma usada para os lançamentos do programa Apollo.
"Como os astronautas da Apollo, essas pessoas viajarão ao espaço carregando esperança e sonho para toda a humanidade, movidos pelo espírito humano universal da exploração," reza um post no blog da SpaceX. Para se ter uma ideia, turistas espaciais pagaram ao governo russo cerca de US$ 20 milhões por viagem até a Estação Espacial Internacional.
"O próximo ano será histórico no transporte de pessoas para a estação espacial", opinou Elon Musk, magnata da tecnologia (dono da PayPal e da Tesla Motors) que comanda a SpaceX, da Califórnia, nos Estados Unidos.

(Fonte: Notícias ao Minuto)

domingo, 16 de abril de 2017

🎥 Segundo Odebretch, Rui Costa se elegeu com dinheiro de propina da CERB e Fonte Nova

Em matéria veiculada no Jornal Nacional da Rede Globo, empresários do Grupo Odebretch denunciaram manobras de Jaques Wagner com o objetivo de eleger seu sucessor no Estado.
ASSISTA ABAIXO


PUBLICIDADE


Odebrecht dava nome de times de futebol aos partidos, diz delator

Posição dos jogadores era utilizada para designar o cargo ocupado pelo político beneficiado por propina

A delação do ex-diretor da Odebrecht Luiz Eduardo Soares, durante as investigações da Lava Jato, aponta que o "departamento de propina" da empresa utilizava nomes de times de futebol para identificar alguns partidos, bem como a posição dos jogadores para designar o cargo ocupado pelo político beneficiado.
O PT era o Flamengo, PSB era o Sport, PSDB o Corinthians, PP o Cruzeiro, PTB o Vasco, PPS o Palmeiras, PR o São Paulo, DEM o Fluminense, Atlético Mineiro o PSOL, PCdoB o Bahia, PSC o Náutico, PSD o Botafogo, PRB o Santos, PDT o Grêmio, PMDB o Internacional, PROS era o Santa Cruz, PV o Coritiba, e a Rede era identificada como Remo. Os políticos sem partidos recebiam o apelido de ABC. A lista conta com 18 siglas.
Segundo informações de O Globo, na tabela apresentada pelo delator, explica-se ainda que os presidentes apareciam como centroavantes, governador era descrito como meia, senador era chamado de ponta, deputado federal era apelidado de volante e deputado estadual de zagueiro. Quem não tinha cargo e pertencia à base de partidos, recebia o apelido de goleiro.
De acordo com Luiz Eduardo, a empresa preferia o caixa dois para ocultar apoios. "Nós não gostávamos de fazer muitos pagamentos lícitos porque chamava muito a atenção. Se fosse pagar tudo de forma lícita daria US$ 100 milhões da Odebrecht. Em 2010 acho que foi R$ 60 milhões em (doação) lícita. É pouco. Se pega em relação a Camargo Corrêa, Andrade é pouco", afirmou.

(Fonte: Notícias ao Minuto)



PUBLICIDADE

Planilhas da Odebrecht, Rui Costa era Flamengo e Paulo Souto era Fluminense


Com informações do Bocão News
No país do futebol, partidos são como clubes, candidatos fazem as vezes de jogadores e as doações que recebem nada mais são do que o seu valor de passe. Foi exatamente assim que a Odebrecht classificou os beneficiários de suas contribuições, de caixa um e dois, na eleição de 2014 na Bahia.
O "meia" (leia-se candidato a governador) Rui Costa (PT), era batizado de "Flamengo" (PT) e valia "2.000", conforma a planilha entregue à Operação Lava Jato. O documento não especifica a unidade de valor apontado.
Seu adversário, o "meia" Paulo Souto (DEM), era "Fluminense" e valia "29 mil" naquele campeonato. Mas a Odebrecht bateu na trave, pois Flamengo 'bateu' o Fluminense.
A engenhoca clandestina da empreiteira servia para driblar não apenas a legislação, mas também os próprios candidatos. Em seus depoimentos, vários delatores da Odebrecht afirmaram aos procuradores que o caixa dois também era útil para evitar a ciumeira.
"Nós tomávamos o cuidado de não dar muito para um partido em detrimento de outro de forma lícita. Se um partido tinha direito a um valor maior, ia de forma ilícita", disse Luiz Eduardo da Rocha Soares, gestor entre outras da planilha futebolística.
Ele disse que controlava tanto os pagamentos lícitos, que saíam da tesouraria corporativa da empresa, como os ilícitos, para os quais era acionado o Setor de Operações Estruturadas, vulgo departamento de propina.
Segundo Soares, as planilhas misturavam caixa um e caixa dois. Primeiro eram determinados os valores cabíveis a cada candidato. "A decisão se era lícita ou não era posterior", afirmou.
"Nós não gostávamos de fazer muitos pagamentos lícitos, porque chamava muita atenção. Se a gente fosse pagar tudo de forma lícita daria US$ 100 milhões de doação eleitoral da Odebrecht."
Vistas do ponto de vista sociológico, as planilhas da Odebrecht mostram que a cultura militar do Brasil com o tempo vai ficando para trás. De acordo com a delação de Soares, inicialmente os candidatos eram classificados seguindo a hierarquia do Exército. "Capitão era presidente, tenente era governador, sargento era deputado federal e cabo, estadual."
Publicada originalmente em 14/04 às 14h37


PUBLICIDADE

 
DBS. Tecnologia do Blogger.