quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

"Quem é Deus?" por Tosta Neto

Eis a questão: quem é Deus? Pergunta capciosa e hermética envolta em infindas e nebulosas respostas. Prezado Leitor, a priori, informo-te que não tenho a mínima pretensão em responder a questão supracitada. Ademais, alerto que o termo “Deus” no título do artigo não quer dizer unilateralmente a vertente monoteísta, mas o conjunto de forças plurais e teogônicas que explicam a gênese da vida em várias civilizações. Desde os tempos imemoriais, o ser humano foi acometido pelo vazio da existência na busca tresloucada por explicações sobre seu nascimento. As primeiras conjecturas míticas surgiram com a incumbência de ocupar as lacunas da origem da vida. Portanto, o mito teve e tem um papel original em prol de explicações enveredadas ao mistério da existência.
Há incontáveis narrativas míticas que vislumbram definições de Deus, porém centralizarei a abordagem na narrativa mais comum no Ocidente, a judaico-cristã. No 1º versículo da Bíblia, – “No princípio, Deus criou o céu e a terra.” ­– Deus é o Próprio Princípio, o Criador de todas as coisas, o Alfa, o Primeiro, logo não há nada antes de Deus. Os judeus resolveram de forma muito simples e lógica o problema ontológico da genealogia: Deus é o Princípio Original. A origem de tudo remonta ao Primeiro Criador. Qualquer criatura sempre retorna ao Princípio Original. Na tradição judaico-cristã, Deus é Onisciente, Onipresente e Onipotente. Inspiremo-nos no Sl 147:5: “Nosso Senhor é grande e poderoso, e a sua sabedoria é sem medida.” Este versículo nos aponta o grandioso poder de Deus e Vossa desmesurada sabedoria. Deus é definido como Sábio Supremo e Onipotente, o Único dotado do dom da criação.
Na contramão da tradição judaico-cristã, Friedrich Nietzsche trouxe uma reflexão filosófica deveras explosiva sobre Deus. No contexto histórico do renomado filósofo alemão, o século XIX, surgiu uma série de fatos e ideias que abalaram as bases do cristianismo: a afirmação da ciência, a publicação da obra A Origem das Espécies de Charles Darwin, a expansão da industrialização maximizada pela absorção de novas descobertas das ciências naturais, o ateísmo de Schopenhauer, o niilismo de Dostoiévski, etc. Nietzsche inverteu o versículo 26 do Gênesis, ao propor que o homem criou Deus a sua imagem e semelhança, tendo como consequência o aprisionamento da humanidade a um idealismo que projetou causas imaginárias como modelos incontestes e absolutos, entre os quais, “Deus”, “alma” e “espírito”. Consoante o pensamento de Nietzsche, Deus é um ente metafísico projetado pela imaginação humana, por sua vez, a tradição judaico-cristã é uma teologia imaginária que posicionou uma entidade abstrata perfeita como a causa de todas as coisas.
Além de Nietzsche, Darwin também caminhou na rota de colisão à tradição judaico-cristã. Na teoria da evolução das espécies, o cientista inglês propusera que o ser humano é apenas o resultado de um processo evolutivo, abordagem que tramita no polo diametralmente oposto ao Gênesis, cujo homem é um ser criado por Deus. Curiosamente, Nietzsche e Darwin tiveram uma base cristã, o primeiro, filho de pastor e rígida educação luterana na infância, o segundo, na sua viagem no Beagle até as Ilhas Galápagos, trazia a Bíblia consigo. Apesar de termos visões paradoxais de mundo, é possível efetuar certas analogias. O Zaratustra, personagem clássico da obra-prima de Nietzsche Assim falava Zaratustra, tem uma trajetória de vida semelhante à de Cristo. Na teoria de Darwin, o homem e os demais seres vivos evoluíram a partir de um ancestral comum; na tradição judaico-cristã, a humanidade também tem o ancestral comum (Adão).
É válido enfatizar, que o conhecimento mítico-religioso tem a mesma importância do conhecimento filosófico-científico, por conseguinte, não deve existir hierarquização epistemológica. Não devemos cair na armadilha que a filosofia e a ciência são superiores à religião, neste sentido, a equidade é extremamente positiva. A filosofia e a ciência não anulam a religião e vice-versa, afinal são complementares; por sinal, há pouco tempo, o Papa Francisco defendeu a convergência entre o criacionismo e o evolucionismo. Vejamos um ponto convergente. Sabe-se, que para a ciência, a vida surgiu na água. Na filosofia, segundo Tales de Mileto, a água é o princípio monista que deu origem à vida. Na Bíblia, os primeiros seres concebidos por Deus foram aquáticos: “Deus disse: ‘Que as águas fiquem cheias de seres vivos e os pássaros voem sobre a terra, sob o firmamento do céu.’ E Deus criou as baleias e os seres vivos que deslizam e vivem na água [...].” (Gn 1:20-21)
Enfim, voltemos à indagação inicial. Reforço o que destaquei no preâmbulo do artigo que não tenho intenção em responder tal questão, por um motivo óbvio: Deus é Indefinível. O mistério de Deus é tão incognoscível que o intelecto humano é incapaz de defini-lo. Simplesmente, a capacidade cognitiva do ser humano não consegue abstrair sobre a verdadeira natureza de Deus. As definições existentes são lampejos simplórios do Supremo Soberano do Universo. A inteligência humana é inabilitada para conceber uma conceituação de Deus. Nem uma assembleia hipotética composta por Platão, Descartes, Salomão, Newton e Einstein conseguiria cunhar um conceito sobre Deus. O tempo passou, passa e passará, e a humanidade jamais conseguirá responder a mais enigmática e complexa de todas as perguntas: Quem é Deus?


Tosta Neto, 22/02/2017  

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Enéas explica porque deixou de ser socialista

Uma das  figuras mais folclóricas da política nacional é Enéas Carneiro. No vídeo abaixo, o ainda “presidenciável” explica que não é socialista, um tema muito recorrente numa década que ainda se acostumava com a queda do Muro de Berlim.
ASSISTA ABAIXO
 Em dado momento, ele esclarece: “A experiência mostrou que, se o Estado toma conta de tudo, desaparece a competição e, uma vez satisfeitas as necessidades básicas, quer dizer, moradia, habitação, comida, a sociedade entra em letargia e não se desenvolve.”

TSE ouve donos de gráficas investigadas em ação no TSE contra chapa Dilma-Temer

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ouviu nesta segunda-feira, em São Paulo, as testemunhas ligadas às gráficas que teriam prestado serviços à campanha de 2014 da chapa Dilma-Temer à Presidência da República. No final do ano passado, agentes da Polícia Federal cumpriram mandados de busca e apreensão em cerca de 20 endereços de empresas subcontratadas por essas empresas.
Os depoimentos de Rodrigo Zanardo, Rogério Zanardo, Carlos Cortegoso e Jonathan Gomes Bastos começaram a ser colhidos a partir das 10h, na sede da Justiça Eleitoral, no centro de São Paulo.
As gráficas alvo da ação do TSE são Rede Seg Gráfica, VTPB Serviços Gráficos e Focal Confecção e Comunicação. Rodrigo e Rogério são donos da Rede Seg e Cortegoso é dono da Focal. O motorista Jonathan já havia prestado depoimento, mas foi convocado novamente. Não há ninguém da VTPB prestando depoimento.
Relatório da Polícia Federal enviado ao TSE informa que foram encontradas irregularidades em pagamentos realizados pela chapa Dilma-Temer a essas três gráficas na campanha eleitoral de 2014. A investigação afirma que há elementos que permitem concluir que parte dos valores oficialmente apresentados como pagamentos às gráficas “não foi, de fato, direcionada a essa atividade”.
Segundo a PF, parte do dinheiro, declarado como verba de campanha, foi desviado para pessoas físicas e jurídicas “em benefício próprio ou de terceiros”.
A ação no TSE é movida pelo PSDB, que pede para a chapa ser cassada. A ação não tem data para ser julgada. O processo corre em Brasília, mas é em São Paulo que estão sendo ouvidas as testemunhas. O relator do caso, o ministro Herman Benjamin será o primeiro a votar entre os sete ministros do TSE. Para a condenação, são necessários ao menos quatro votos favoráveis.
A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff nega as acusações e afirma que todos os serviços contratados durante a campanha foram produzidos e entregues pelas gráficas. A defesa de Michel Temer diz que o então candidato a vice-presidente e o PMDB não foram responsáveis pela contratação das gráficas investigadas no processo.
Flávio Caetano, advogado da ex-presidente Dilma Rousseff, disse que a oitiva é um pedido dele em conjunto com a defesa do PSDB.
— Eles vão explicar como funcionava o fornecimento dos serviços gráficos para a campanha. Prova pericial já foi feita e já demonstrou que serviços foram feitos. Com isso hoje não restará dúvidas — afirmou Caetano ao falar sobre a importância das oitivas desta segunda-feira.
Já Gustavo Bonini Guedes, advogado de Temer, disse que tanto o PMDB quanto o presidente desconhecem quem são as gráficas.
O PSDB, que protocolou a ação após a eleição de 2014, diz ter havido abuso de poder político e econômico na disputa.
A principal acusação é de que a campanha foi abastecida com dinheiro de propina desviado da Petrobras, suspeita negada pelas defesas de Dilma e Temer.

(Fonte: Agência O Globo)

Sem Brasileirão, estádios da Copa vão ser ainda mais elefantes brancos

Já não era lá tão complicado de prever que alguns estádios construídos para a Copa do Mundo de 2014 virariam verdadeiros ‘elefantes brancos' após o torneio. Dois anos e meio depois, isso de fato aconteceu. E agora a perspectiva é piorar ainda mais.
Isso porque os próprios clubes chegaram a um acordo em congresso na CBF e proibiram na última segunda-feira que se venda o mando de campo no Campeonato Brasileiro. A medida, claro, visa melhorar o nível técnico da competição, impedindo que algum time se beneficie de um ‘campo neutro'.
Por outro lado, porém, tira a maior fonte de público e de renda dos estádios mais afastados da Copa.
Três deles em especial, sem nenhum time na Série A e nem na Série B: Arena Pantanal (Cuiabá), Arena Amazônia (Manaus) e Mané Garrincha (Brasília).
Segundo levantamento do ESPN.com.br, esses estádios receberam juntos 219 jogos depois da Copa do Mundo de 2014, sendo 25 deles pelo Brasileirão.
Pode até não parecer muito, mas o campeonato nacional foi o responsável pelos maiores públicos nas três arenas.
No Mato Grosso, os times do estado até jogam mais na Arena Pantanal, principalmente o Cuiabá (Série C) e o Operário (Série D). As arquibancadas, porém, só enchem quando grandes clubes nacionais vão jogar por lá.
Quatro dos cinco maiores públicos pós-Copa são do Brasileiro. O maior é de setembro de 2014, em uma vitória do Goiás sobre o Flamengo (38.405).
Amazonas é o estado com menos jogos desde o Mundial. Foram apenas 55 jogos (incluindo o Torneio de Manaus feminino, colocado lá justamente para manter o estádio na ativa).
Foram só três do Brasileirão. O clássico entre Botafogo e Flamengo, em outubro de 2014, porém, representa o segundo maior público da Arena Amazônia (39.561). Só Vasco x Fla, semi do Carioca de 2016, superou o número de ingressos vendidos (44.419).
Já Brasília foi a cidade que mais recebeu o Brasileirão. Foram 15 jogos, de um total de 65 que o Mané Garrincha foi sede desde o fim da Copa. E, tirando a Olimpíada, o campeonato nacional é responsável por quatro dos cinco maiores públicos. O maior deles foi na derrota do Flamengo contra o Coritiba em setembro de 2015 (67.011), só superado pelo empate entre Brasil e África do Sul nos Jogos Olímpicos (69.389).
E a conta ainda pode incluir a Arena das Dunas. Natal conta com o ABC na Série B e com o América-RN (agora na Série D) jogando com frequência por lá. Até por isso, só 2 dos 88 jogos disputados por lá desde a Copa foram do Brasileirão.
Porém, a vitória do Fluminense para cima do Flamengo no ano passado representa o quinto maior público e a segunda maior renda do estádio - R$ 2.214.850,00 -, superada apenas pelo duelo da seleção brasileira contra a Bolívia pelas eliminatórias sul-americanas.

(Fonte: ESPN)

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

"É possível um cristão ser de esquerda? " por Luiz Felipe Pondé

"É possível um cristão ser de esquerda? " Confira o comentário de Luiz Felipe de Cerqueira e Silva Pondé (Recife, 1959), sobre o tema. 
ASSISTA ABAIXO


Pondé é professor, filósofo e escritor brasileiro, doutor em filosofia pela Universidade de Paris e pela FFLCH da USP, pós-doutor pela Universidade de Tel Aviv. Atualmente, é Vice-Diretor e Coordenador de Curso da Faculdade de Comunicação da FAAP; professor de Ciências da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e de Filosofia na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP).

Ponte de estrelas une duas galáxias na órbita da Via Láctea

As duas nuvens de Magalhães, pequenas galáxias que estão na órbita da Via Láctea, se chocaram há 200 milhões de anos – e estão de mãos dadas desde então

Se você acha os censos demográficos da Terra meio tediosos – desculpa, IBGE –, você talvez goste mais dos que são feitos no céu. Um observatório espacial europeu chamado Gaia está desde 2013 no vácuo fazendo um catálogo com a posição e o brilho de mais de um bilhão de estrelas da Via Láctea e de suas redondezas – um Google Maps tridimensional da nossa vizinhança cósmica.
A resolução do telescópio, projetado pela Agência Espacial Europeia (ESA) e lançado em 2013, é semelhante à do Hubble, seu irmão mais velho. Mas sua abrangência é muito maior: ele é capaz de varrer todo o céu em só um mês, e ao final do ciclo voltar do início. O resultado é um registro preciso de como cada estrela evoluiu no céu ao longo do tempo – dá para saber quais astros estão pulsando e até quais explodiram. Um verdadeiro paraíso da informação para os astrônomos: mais ou menos como a sensação de dirigir com o aplicativo Waze depois de alguns meses usando um mapa de lista telefônica.
Com esses dados em mãos, um grupo de pesquisadores da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, decidiu entender melhor a história das galáxias anãs que estão na órbita da Via Láctea usando estrelas chamadas RR Lyrae. Elas são antigas e brilham pouco, e por causa disso são muito estáveis: pulsam a taxas conhecidas e previsíveis. Assim, servem de ponto de referência para entender o que mudou ao redor delas.
A descoberta mais notável do grupo, até agora, é uma ponte de estrelas de 43 mil anos-luz ligando as duas acompanhantes mais famosas da Via Láctea: a Grande Nuvem de Magalhães (LMC), de 14 mil anos-luz de diâmetro, e sua irmã menor, a Pequena Nuvem de Magalhães (SMC), com exatamente metade do tamanho. Apesar da aparência idílica, ela é o resultado de uma colisão muito, muito grande. “Nós comparamos o formato e a posição da ponte a simulações das duas nuvens de Magalhães conforme elas se aproximam da nossa galáxia”, explicaram os pesquisadores. “Muitas estrelas da ponte parecem ter sido arrancadas da SMC há 200 milhões de anos, quando as duas galáxias-anãs passaram muito perto uma da outra.”
Outras podem ter sido arrancadas da LMC pela própria interação gravitacional com a Via Láctea, que é muito maior. A ponte, no fim, acaba servindo como uma espécie de rastro, uma trilha de pedrinhas deixada pelas galáxias-satélite conforme elas cortam o céu. Um registro muito útil considerando que elas se movem devagar demais para a percepção humana, e que pode ajudar os astrônomos a entender como funciona o jogo de forças entre objetos tão grandes quanto aglomerados de bilhões de estrelas – a Pequena Nuvem de Magalhães, sozinha, tem massa equivalente a 7 bilhões de sóis.

(Fonte: Superinteressante)

PT defende apoio a tucano na Assembleia

Pelo acordo, PSDB fica com a presidência e petistas com a 1ª Secretaria, que detém 57 cargos

A maioria da bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) defende apoio à eleição do tucano Cauê Macris na eleição para a presidência da Casa, marcada para o dia 15 de março. Pelo acordo, o partido, dono da segunda maior bancada, atrás do PSDB, manteria a 1.ª Secretaria, posto que ocupa ininterruptamente desde 2002, e os 57 cargos comissionados vinculados à vaga.
Três dos 16 deputados estaduais petistas, porém, querem levar a decisão para o Diretório Estadual da legenda. Assim, esperam ganhar tempo para mobilizar a militância contra o apoio a Macris. “Cauê e o pai dele (o deputado federal tucano Vanderlei Macris) são conhecidos pela militância antipetista”, disse o deputado José Américo Dias, que integra o grupo dissidente petista, ao lado de Carlos Neder e João Paulo Rillo.
Aos 33 anos, Macris é um dos maiores adversários do PT no Estado. Em setembro do ano passado, o deputado publicou artigo no jornal Folha de S. Paulo, no qual diz que o “PT e seus associados”, entre eles, a União Nacional dos Estudantes (UNE), a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), “agem como um bandido que, ao furtar a carteira de alguém, grita ‘pega ladrão’”.
Proporcionalidade. O líder do PT na Assembleia Legislativa, José Zico Prado, disse que a decisão da bancada ainda não foi tomada, mas confirmou que a maioria defende o apoio ao tucano. “Ainda não tem uma posição, mas a maioria defende a proporcionalidade garantida nas urnas”, afirmou.
Proporcionalidade é o critério pelo qual são escolhidos os cargos na Mesa Diretora da Alesp. Graças a isso, o PT tem mantido a 1.ª Secretaria, posto mais importante depois da presidência.
A 1.ª Secretaria tem, atualmente, 57 pessoas ocupando cargos de comissão. O líder do PT, no entanto, nega que o objetivo da aliança seja a obtenção de empregos.
“Estamos discutindo a participação em comissões e outros postos que nos permitam fazer oposição ao governo Alckmin.” Os “rebeldes” da bancada petista contestam o argumento. “O PT só tem este aparato porque faz oposição conciliadora”, afirmou o deputado Rillo.
'Bloquinho'. O PT tem duas alternativas ao apoio pelo tucano. A primeira é a construção de um bloco de esquerda, junto com PDT e PSOL, sem chance de vitória. A outra é apoiar um nome do “bloquinho”, formado por PSB, PV, PPS, PR, PSC, PTN, PSL, PP e PEN, que avalia lançar como candidato o deputado Carlos César (PSB).
“O ‘bloquinho’ tem até 29 votos. Com os 16 do PT, poderia haver um ‘efeito manada’, já que o nome de (Cauê) Macris não é bem-visto. Ele é muito dependente do Alckmin. Se o governador já não atende os deputados, imagine com um presidente sem autonomia”, disse José Américo.
Deputados tucanos dão como certa a manutenção do acordo histórico entre DEM, PSDB e PT. A aliança, porém, desagrada à parte da bancada. “Eu não faria um acordo com o PT, mas essa é opção do candidato. Precisamos mudar a história da Assembleia. Esse acordo tem de acabar”, disse o deputado Carlos Pignatari, líder do PSDB na Assembleia.

(Fonte: Estadão)

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Cientistas estão perto de ressuscitar os mamutes

O mamute-lanoso (Mammuthus primigenius), uma das últimas populações da espécie que habitou a terra, pode ser trazido de volta da extinção dentro de dois anos, disse o cientista George Church, professor de genética da Escola de Medicina de Harvard e um dos pais do Projeto Genoma Humano.
Os pesquisadores estão muito perto de criar um embrião híbrido de elefante e mamute-lanoso, espécie que foi extinta há cerca de 5.600 anos, segundo estudo publicado na revista científica PNAS.
Para trazer os animais de volta à vida, os cientistas estão usando uma técnica chamada CRISPR, um novo método de edição genética que permite "cortar e colar" cadeias de DNA. O material genético dos animais foi extraído de carcaças congeladas.
Os cientistas pretendem manipular as células da pele do elefante para produzir o embrião, ou embriões múltiplos, usando técnicas de clonagem.
Os núcleos das células reprogramadas seriam colocados em célula-ovo de elefante cujo próprio material genético foi removido. Depois seriam artificialmente estimulados para se desenvolverem em embriões.
Os pesquisadores pretendem criar um embrião com as características do mamute --pelos longos, grossas camadas de gordura e sangue adequado para vida em condições de frio extremo. Posteriormente o embrião seria inserido em um útero artificial para ser gestado.
Testes de laboratório já mostraram que as células funcionam normalmente na combinação de DNA do mamute e do elefante asiático.
O anúncio foi realizado durante o encontro mundial de cientistas da Associação Americana para o Avanço da Ciência (AAAS), em Boston. Segundo Church, o animal seria uma espécie de elefante com traços físicos de um mamute.
Em 2013, o pesquisador declarou que é possível usar essa técnica para criar humanos resistentes a vírus e até recriar os ancestrais do homem moderno, os neandertais. O cientista afirmou que já possuía DNA suficiente de fósseis para reconstruir o DNA de espécies humanas extintas. O que faltava era apenas "uma mulher corajosa".
Para os cientistas, o projeto pode ajudar a preservar a população de elefantes ameaçados de extinção e ajudaria a combater o aquecimento global.
A reintrodução de mamutes em partes congeladas do planeta poderia impedir que o solo descongelasse, uma vez que a neve sofreria perfurações, permitindo a entrada de ar frio. No verão, a presença dos animais poderia ajudar a grama a florescer.
De acordo com os cientistas, a reintrodução de mamutes na Sibéria poderia fazer com que as temperaturas locais caíssem até 20ºC.

(Fonte: Uol Notícias)

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Equipe de geólogos afirma ter descoberto um oitavo continente

G1 noticiou hoje, 18 de fevereiro, que equipe de geólogos afirma ter descoberto um oitavo continente.
Confira ABAIXO

Trecho da 1ª Sessão ordinária da Câmara Municipal de Amargosa. Confira 🎥 Edição Conexão Outro Olhar

Trecho da 1ª Sessão ordinária da Câmara Municipal de Amargosa.
Confira 🎥 Edição Conexão Outro Olhar
ASSISTA ABAIXO

 
DBS. Tecnologia do Blogger.